Acidentes de viação continuam a liderar as estatísticas de morte na quadra festiva, com 19 casos em dois dias, em consequência de 86 acidentes. Apesar disso, o director do Gabinete de Comunicação e Imagem da Polícia Nacional, Orlando Bernardo, disse que houve redução de 34 acidentes e de sete mortos em relação a 2015 .

Trinta e duas pessoas morreram durante o Natal em todo país (24 e 25 de Dezembro), segundo o balanço apresentado ontem, em Luanda, pelo Comando Geral da Polícia Nacional. Segundo o sub-comissário Orlando Bernardo, 19 pessoas morreram em consequência de acidentes de viação, sete por homicídios voluntários, cinco por presumíveis afogamentos e um por descarga eléctrica.

O porta-voz do Comando geral da Polícia Nacional explicou que além dos 19 mortos, 83 pessoas ficaram feridas em consequência de 86 acidentes ocorridos em todo o país, com maior incidência nas províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huila e Kuando- Kubango e as Lundas Norte e Sul. Comparativamente, o responsável disse que o país conheceu uma diminuição de 34 acidentes, sete mortes e 37 feridos em relação ao ano anterior.

O sub-comissário Orlando Bernardo disse que quatro dos sete homicídios aconteceram em ambiente familiar, com recurso a arma branca e três com recurso a arma de fogo. O referido balanço é referente ao trabalho efectuado por quatro órgãos do Ministério do Interior, nomeadamente, Polícia Nacional, Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Serviços de Migração e Estrangeiros e Serviços Prisionais que culminou com a detenção de 285 suspeitos, sendo 234 envolvidos em crimes registados no período em referência e mais 51 na sequência de investigações que estavam em curso.

No que toca aos roubos houve uma diminuição de sete casos em relação ao ano passado, isto é, desceu de 31 para 24. Já o mesmo não sucedeu com os furtos que registaram um aumento de cinco; de 55 casos para 60, dos quais 41 foram esclarecidos tendo resultado em 65 detidos. Em termos gerais, segundo o responsável, as autoridades registaram em dois dias 241 crimes, menos três homicídios voluntários, em relação ao ano anterior. No total, o Ministério do Interior destacou em prontidão mais de 100 mil efectivos, entre polícias, bombeiros, agentes de Migração e Estrangeiros e dos Serviços Prisionais, segundo Orlando Bernardo.

Criança de três meses morta à paulada pelo pai

Uma criança de três meses de idade foi morta à paulada pelo próprio pai, às 1h30 de Domingo, durante uma briga com a sua mãe, na povoação de Mambandi, município de Cacula, província da Huila, segundo o sub-comissário Orlando Bernardo. O porta-voz do Comando Geral da Polícia Nacional explicou que o suposto assassino pegou um pau e tentou desferir dois golpes à sua companheira que carregava a criança ao colo, tendo os mesmos atingido a criança na cabeça e de seguida meteu-se em fuga. Já na cidade do Lubango (também na Huila), um segurança abandonou o seu posto de serviço para ir ter com o outro guarda da empresa Inácio e filhos, Lda, às 21 horas de Sábado, a fim de conversarem sobre um assunto que carece ainda de ser aclarado.

Ambos se desentenderam e um deles usou a arma AKM que tinha para ceifar a vida do seu companheiro, de 34 anos. O autor deste crime também está foragido. Em Luanda, no bairro da Vila Nova, em Viana, o convívio entre vários jovens terminou em tragédia. Dois amigos se desentenderam, às 00h30 do mesmo dia, e um deles arremessou vários blocos à cabeça e ao abdómem do seu companheiro, provocando a sua morte imediata.

Comentários

comentários