O balanço definitivo da Polícia Nacional fornece um registo de 126 mortos ocorridos em acidentes de viação, em que se destacam 16 mortes no dia 30 na província da Lunda-Norte. Ainda assim, o ministro do interior, Ângelo de Veigas Tavares, considerou positiva a passagem de ano, tendo enaltecido o comportamento dos cidadãos em virtude da diminuição de ocorrências de sinistralidade rodoviária.

carro1Cento e 26 pessoas perderam a vida nas estradas nacionais em consequência de acidentes de viação, indica o relatório final de balanço do asseguramento da quadra festiva 2016/2017 apresentado ontem, em Luanda, pelo Ministério do Interior (MININT). São no total, 126 mortes registadas pela Polícia Nacional, mais duas constantes no relatório dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB), com destaque para 16 pessoas que perderam a vida num único acidente, no dia 30 de Dezembro, na província da Lunda-Norte, resultante da colisão entre uma viatura Toyota Hiace e um camião Volvo F-12 por presumível excesso de velocidade.

Na província de Luanda, que registou maior número de vítimas nas estradas (32 no total), o destaque recai para o capotamento de uma ambulância que transportava agentes dos Serviços de Investigação Criminal (SIC) do município da Quiçama, tendo culminado na morte do 3º sub-chefe André Curigadizima e no ferimento do agente António Luís João. Segundo o director do Gabinete de Comunicação e Imagem da PN, Orlando Bernardo, a ambulância que transportava os efectivos, de marca Land Cruiser, regressava de um acção de remoção de cadáver num outro acidente. Para além do número de acidentes de viação, o subcomissário Orlando Bernardo referiu que no período compreendido entre 20 de Dezembro e 2 de Janeiro de 2017 houve 15 homicídios e 8 presumíveis afogamentos em praias, rios e lagoas de diferentes províncias, engrossando para mais de 150 o número de cidadãos que perderam a vida durante a quadra festiva.

Orlando Bernardo revelou que neste período foram cometidos mil 176 crimes diversos que culminaram na detenção de mil e 11 cidadãos suspeitos de estarem envolvidos nos referidos delitos. O relatório que apresenta a operação levada a cabo por todos os órgãos do MININT indica também que no dia 24 de Dezembro, no município do Cazenga, dois elementos até agora não identificados, que se faziam transportar num motociclo, atingiram no membro inferior esquerdo o cidadão chinês Yhang Wenlu, de 42 anos de idade, comerciante. Comparativamente ao ano de 2015, a operação denominada “Tchisseke” registou menos 16 homicídios e menos 22 mortes por acidentes de viação, de acordo com o subcomissário e porta- voz da comissão criada para o asseguramento das festividades.

Ministro do Interior agradece colaboração dos cidadãos

minstroNa ocasião, o ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, enalteceu o comportamento cívico dos cidadãos durante o período festivo, tendo considerado que, apesar das mortes registadas, “foi uma quadra festiva tranquila, mas registamos algumas preocupações de cidadãos que não ouviram os conselhos úteis transmitidos por nós”. O governante disse que se parte das vítimas acatasse as orientações transmitidas pelo órgão que dirige, muitas mortes ter-se-iam evitado, realçando que não obstante este facto, os números são inferiores em relação aos dois últimos anos. “Preocupa-nos o número de ofensas corporais (153 casos) e de acidentes de viação, particularmente o que ocorreu na província da Lunda-Norte em que 16 pessoas perderam a vida”, lamentou.

Na mesma senda, o subcomissário Orlando Bernardo, realçou que a redução no número de acidentes e de mortes constitui resultado do empenho de todos os órgãos afectos ao Ministério do Interior e da Defesa, que disponibilizaram o total de 73 mil e 407 homens para o seu asseguramento. Segundo ele, a PN envidou esforços na acção de sensibilização de cidadãos e na utilização de “bafómetros” nas estradas, que resultaram na diminuição de cerca de 70 feridos e em menos 63 acidentes nas estradas. Para o oficial, a redução de 15 crimes demostra que houve empenho das pessoas envolvidas no trabalho “e é satisfatório que as pessoas que deixaram as suas famílias para cuidar das famílias dos outros, tenham conhecimento de que o seu trabalho resultou, pelo menos, na redução de crimes”, enfatizou.

Navio apreendido por contrabando de combustível

No âmbito da fiscalização marítima, procedeu-se à apreensão de um navio denominado Panca Rio, com bandeira das Ilhas Marshall, do continente Oceania, por contrabando de combustível a 21 de Dezembro. Segundo a PN, a embarcação permaneceu retida durante alguns dias e ao seu capitão, de nacionalidade polaca, foi julgado no Tribunal Municipal da Ingombota e multado em 117 milhões, 513 mil e 912 kz, além da taxa de justiça de 88 mil kz para restituição da sua liberdade. Foram também retidos quatro volumes contendo cerca de 405 milhões, 432 mil e 86 Euros e 500 mil Libras nos vôos provenientes, designadamente, de Johanesburgo (África do Sul) e Lisboa (Portugal), por não terem apresentado as devidas declarações de importação no Aeroporto 4 de Fevereiro.

Marginais cortam cabeça de cidadã à catanada

A cidadã Belita Francisco Lukamba, de 40 anos de idade, foi-lhe cortada a cabeça com catana por presumíveis marginais não identificados, na comuna do Kixinge, município da Kissama, em Luanda, às 18 horas de 25 de Dezembro. Segundo o subcomissário Orlando Bernardo, a vítima foi decapitada, tendo a sua cabeça sido encontrada a 15 metros do respectivo corpo que apresentava golpes de faca na região do abdómem. Sem apresentar mais dados referentes a este infausto acontecimento, a fonte policial revelou apenas que o crime ocorreu no bairro Ngolomé, numa lavra.

Comentários

comentários