Os níves de produção de gás butano alcançados pelo Projecto Angola LNG permitem que o país seja autosuficiente neste domínio. O dado foi veiculado pela Sonangol, em Houston, à margem do fórum mundial sobre petróleo e gás.

O administrador da Sonangol para Pesquisa e Produção, Edson dos Santos, declarou que os níveis actuais de produção de gás butano no âmbito do Projecto Angola LNG são suficientes para responder às necessidades do país. “Angola deixou de importar gás butano, porque, de momento, todo o gás butano produzido no país é proveniente da planta LNG, e a empresa espera terminar com as importações do mesmo em 2017”, referiu.

O responsável, que integra uma delegação da petrolífera angolana chefiada por Isabel dos Santos, fez esta revelação em Houston, Estados Unidos, à margem da “Ceraweek”, um dos maiores fóruns mundiais sobre petróleo e gás. Edson dos Santos declarou igualmente que se prevê a exportação do gás produzido no país. Quanto ao problema técnico que há alguns anos assolou o projecto Angola LNG, revelou que o mesmo já foi superado. O projecto LNG retomou a produção no último simestre de 2016, numa parceria entre a Sonangol e seus parceiros.

O administrador da Sonangol referiu igualmente que o Angola LNG efectuou sete carregamentos durante 2016 e pretende chegar aos 58 no presente ano. Em Houston, a delegação da Sonangol chefiada por Isabel dos Santos apresentou o plano do Governo para a restruturação da Sonangol. A concessionária nacional sublinhou no certame que os resultados do processo de transformação da Sonagol trarão benefícios acrescidos, não só para todos os angolanos, como para as empresas que operam no país, de acordo com a administradora executiva da empresa.

Receitas da Sonangol crescem mais de 70% em Janeiro

As receitas fiscais geradas pela Sonangol cresceram mais de 70% entre Dezembro e Janeiro, ultrapassando os Kz 109,3 mil milhões. Este crescimento deve-se ao aumento do preço do barril de crude que resultou do acordo entre os países produtores para reduzir a produção de petróleo bruto. Em Janeiro, Angola exportou 52.250.079 barris de petróleo a um preço médio acima de USD 50, um aumento superior a 3,3 milhões de barris face ao mês de Dezembro de 2016. As vendas de Janeiro traduziram-se, num encaixe de Kz 158,9 mil milhões dos quais Kz 109,3 mil milhões foram garantidos pela Sonangol.

Comentários

comentários