Estamos na semana mundial da amamentação, o evento é celebrado mundialmente de um a sete do mês de Agosto e este ano o lema é “Todos juntos pela amamentação”.

xuxaA médica pediátrica neo-natalogista e coordenadora do núcleo de aleitamento materno da maternidade Lucrécia Paim, Elisa Gaspar, avançou que o Banco de Leite Humano (BLH), que já tem as suas paredes erguidas desde 2010, vai funcionar no próximo ano, precisamente na abertura da Semana Mundial da Amamentação”. “Com a nova direcção do Ministério da Saúde, temos fé que até ao próximo ano, na Semana do Aleitamento Materno, o Banco de Leite Humano estará aberto. Já temos recursos humanos formados, mas vão voltar a fazer formação para se actualizarem”, afirmou Elisa Gaspar.

A coordenadora do Aleitamento Materno disse que estão abertos para dar formação a todos aqueles que pretenderem trabalhar voluntariamente no BLH, onde se prevê que venham a funcionar diariamente seis pessoas. Elisa Gaspar explicou que o BLH vai beneficiar bebés prematuros, órfãos de mãe ou filhos de mães seropositivas, as que têm doenças infecciosas e não podem amamentar os seus filhos, ou por um outro motivo. A instituição vai depender de doações de leite materno. Poderão doar todas as mulheres saudáveis, que não tenham nenhuma doença infecciosa, não seja fumadora habitual, alcoólatra ou usuária de drogas. A médica pediátrica disse que instituições do género já existem em outros países, tendo por finalidade apoiar a amamentação.

Conta que a maternidade Lucrécia Paim tem um núcleo de aleitamento materno que tem estado a incentivar as mães a amamentarem os seus filhos com leite materno, exclusivamente até aos seis meses e continuar até aos dois anos de idade. Elisa Gaspar conta que têm trabalhado no sentido de fazer chegar a todas as mães, e não só, a importância e os benefícios do aleitamento materno, e muitas progenitoras já não têm preconceito no que toca à amamentação. “Nós fazemos questão que as mães amamentem os seus filhos, porque é muito saudável, tem toda a água necessária, todos os sais minerais, as vitaminas necessárias para o crescimento e desenvolvimento normal de uma criança”, sublinhou Elisa Gaspar. Sobre as vantagens, a responsável disse que toda a mãe que amamenta tem protecção contra o cancro do colo do útero, o cancro da mama e outras doenças.

No que toca à criança, ela está protegida, sobretudo quando é amamentada com o primeiro leite, a que as mães chamam “água”, mas a classe médica chama-lhe cluster. De acordo com a pediatra, o leite é considerado a vacina do bebé, porque é a imunidade que a mãe passa para o seu bebé, depois vem o leite intermediário e a seguir o maduro. Segundo a médica, todos os bebés que mamam peito desde os primeiros minutos ao longo e após o nascimento, exclusivamente até aos seis meses, são saudáveis e estão imunes às infecções como diarreias, otites, doenças hipertensivas, conhecida na classe médica como “doenças do adulto na infância”.

A médica disse ainda que todos os dias fala-se sobre o assunto, mas na Semana Mundial da Amamentação alerta-se que o “aleitamento materno não é só a mulher, mas sim o homem, a família, a comunidade, a sociedade”. “Quando uma mulher está a amamentar todos devem engajar-se para que ela esteja bem para dar de mamar ao seu bebé”, acrescentou. Laurinda Pinto, 36 anos, mãe de quatro filhos, conta que quando engravidou do quarto filho, o terceiro tinha apenas 12 meses de idade. Procurou orientação da médica pediátrica e recebeu informações sobre os benefícios do leite materno no desenvolvimento da criança. Em função da orientação, dona Laurinda amamentou o filho até à última semana de gestação e não apresentou nenhuma preocupação em questões de saúde. O bebé cresceu saudável.

“Entre os irmãos, ele é o mais forte, saudável e inteligente”, disse a mãe. Capitão Adilson José dos Santos gostou da palestra que decorreu no seu local de trabalho e aconselhou os colegas a ajudar as mulheres nos deveres de casa e a cuidar dos outros filhos enquanto esta estiver a amamentar. “As nossas mulheres poderão amamentar os bebes sem preocupação, até porque as Forças Armadas Angolanas são uma escola e nós somos o exemplo para a sociedade”, explicou. Este ano, a actividade está a decorrer sobre o lema “Todos juntos pela amamentação”, estão a ser realizadas palestras em diferentes instituições a nível de Luanda, nos Bombeiros, no Quartel-General das Forças Armadas, onde estão a passar a mensagem de que o leite materno é o melhor e todas as mães.

Comentários

comentários