Opinião

Meta à vista

A próxima Segunda-feira, 21, será o último dia de campanha eleitoral, portanto, esta é a semana derradeira para a caça ao voto. De qualquer forma, só um grande jogo de cintura e grandes piruetas poderiam levar à alteração da tendência de voto e da previsão do vencedor. O que se pode fazer agora é procurar consolidar posições. Uns buscando cimentar a vitória e outros conter os danos. Em processos eleitorais

Editorial: ERCA

Ontem tomou posse a direcção da ERCA (Entidade Reguladora da Comunicação Social em Angola), dirigida pelo jornalista Luís Fernando, na Assembleia Nacional, cumprindo-se assim o que estabelece o pacote legislativo da comunicação social, uma das reclamações mais estridentes de entes políticos e do sindicato da classe, além de outras organizações. No fim da sua vigência, o parlamento da actual legislatura, dias antes das eleições, empossa a entidade que a partir

Carta do leitor: Mais higiene…

Caro director do O PAÍS, antes mais saudações em nome do nosso bel país chamado Angola. Obrigado pela oportunidade que me dá nesta edição. O vosso jornal continua a cumprir o seu papel, embora uns aceitem e outros não. Hoje, escrevo para dizer que estou muito triste com a administração do distrito urbano da Maianga, província de Luanda. Ali, no largo dos táxis, no Cassenda, no antigo quintal da Multichoice,

Só falta Dos Santos

Na Sexta-feira, a UNITA protagonizou um autêntico golpe de teatro no seu tempo de antena. Anunciou para a Agricultura o seu plano. Enumerou os factores importantes para o seu desenvolvimento. E (aqui soa aquela música de suspense), citou os nomes dos quadros com que conta para o sucesso da sua política. Issac dos Anjos e Marcos Nhunga, o actual ministro da Agricultura, eram os nomes mais sonantes. Os quadros que

Editorial: Festa e responsabilidade

A democracia é o melhor sistema político para o exercício dos cidadãos dos até hoje conhecidos. As eleições são e devem ser uma festa da democracia. Por isso mesmo deve-se ter o máximo de responsabilidade nestas coisas. Não se entende o número de crianças que aparecem nas caminhadas de certos líderes políticos do nosso país, em campanha eleitoral. É bom dar-se a impressão de que se tem muito apoio, sobretudo

CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS DE LISTA

Os delegados de lista e seus suplentes são apresentados pelos partidos políticos, mediante lista, para efeito de credenciamento junto da CNE, no prazo de até 30 dias antes da data das eleições, conforme o artigo 94º nº 2 da Lei orgânica sobre as eleições gerais. Para as eleições de 2017, os partidos políticos apresentaram uma lista com todos os seus delegados de lista e respectivos suplentes, para serem cadastrados junto

Não vale “se fulalar”!

A vida dos musseques tem particularidades com sabores extraordinários. Tem enredos da vida real que levados ao texto poderiam resultar em obras literárias fadadas para uma aceitação bombástica. O carisma dos personagens de cada banda, as inusitadas situações de disputas ou desforras entre becos e terrenos baldios, as travessuras dos petizes que enguiçam a tranquilidade dos mais velhos, os códigos verbais que nascem com o fito de esquivar- se do

A perca dos Valores Morais: Geração Adulta versus Geração Nova

De um tempo a esta parte, fala-se com bastante frequência sobre a perca dos valores morais e cívicos no seio da juventude e pouco se materializa a forma como se deve moldar os adolescentes para o resgate. Escolhi o título desta reflexão “ A perca dos Valores Morais: Geração Adulta versus Geração Nova ”, com o propósito de despertar nós adultos ,em particular, e a sociedade, em geral, da forma

Carta dos leitores: Higiene nos autocarros públicos

Ao Jornal O PAÍS O meu grande e forte abraço a toda equipa deste diário, e o reconhecimento pelo esforço que têm vindo a empreender em produzir notícias nacionais e não só, também de carácter diversos postos à disposição dos leitores. Nos últimos dias várias operadoras de transportes públicos reforçaram as respectivas frotas de meios, de tal maneiras que é visível a sua circulação em vários espaços sociais da nossa

Falta aquilo

Na Sexta-feira, Paulo Julião teve a missão de entrevistar o cabeça de lista da APN, Quintino Moreira, e que tarefa! Depois das boas intenções (que para já só têm mesmo lugar no inferno) de construir, no próximo mandato, três capitais e duas marginais interprovinciais, etc., eis que chegou aquele momento que põe à prova a têmpera de um bom político. Que é o de dizer a verdade e ser honesto