Devido às grandes quantidades de lixo produzidas diariamente ao longo da orla marítima de Cacuaco, o administrador municipal Carlos Cavuquila proibiu, ontem, a venda ambulante naquele espaço. Por sua vez, as zungueiras, descontentes, recusaram cumprir a medida, alegando não serem elas as responsáveis pela sujeira no espaço.

Doravante, fica proibida a venda de quaisquer produtos ao longo da orla marítima de Cacucao que, nos últimos tempos, tem estado a registar acumulação de enormes quantidades de lixo, como fez saber o administrador local, Carlos Cavuquila, durante o primeiro encontro de auscultação das zungueiras.

Segundo o administrador, o lixo que é produzido na orla marítima é derivado do exercício da venda ambulante que é feita de forma desregrada e à margem das normas administrativas. No entanto, por ser uma situação recorrente e que põe em causa a saúde dos utentes, já que o espaço é destinado a banhistas, turistas e moradores, Carlos Cavuquila pediu às zungueiras para não mais voltarem a comercializar produtos naquela superfície com vista a garantir maior higiene e conforto ao local.

No encontro de auscultação que juntou mais de 100 zungueiras, o governante deu a conhecer que o município dispõe de espaços próprios para o exercício da venda ambulante. Entre os locais, Carlos Cavuquila apontou a zona de Cacuaco sede, bairros dos pescadores, Caope Nova, arredores do mercado do Kifangondo, bairro Cauelele, Funda, Caope Velha, Kikolo e zona do Maiombe.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

 

Comentários

comentários