A central térmica do Soyo, de ciclo combinado, já começou a operar, estando a fornecer 22 megawatts de energia à rede pública dessa cidade petrolífera, anuncia a Sonagás, uma subsidiária da Sonangol, num comunicado de imprensa chegado ontem à redacção de OPAÍS.

De acordo com o documento, que não precisa a data, a estrutura está a ser “operada pela Luxerviza, empresa do grupo Sonangol, vocacionada para a gestão das operações de gás natural, e assume um papel estruturante no desenvolvimento da província do Zaire, tendo ainda capacidade para, em breve, fornecer energia eléctrica a Luanda”.

As duas turbinas do projecto que entraram em serviço, assim como as futuras, produzem energia eléctrica recorrendo à transformação do gás natural proveniente dos blocos de exploração petrolífera nacionais e do projecto Angola LNG instalada no município do Soyo. Sublinha o comunicado que a entrada em funcionamento do projecto permitirá à Empresa Nacional de Distribuição de Energia (ENDE) satisfazer as necessidades energéticas do Soyo de modo mais económico e com o menor índice de emissões de gases e resíduos poluentes do ambiente local.

A central térmica de ciclo combinado do Soyo está projectada para produzir cerca de 900 megawatts de energia eléctrica que serão integrados na rede nacional de energia, de modo a fornecer este bem à província de Luanda e a outras regiões do país, processo que deverá ter início com o desenvolvimento da segunda fase a iniciar já nos próximos meses.

Comentários

comentários