O Governo Provincial do Huambo está ajudar os proprietários de pequenos estabelecimentos comerciais, encerrados em consequência da crise, a reabrirem as portas, mantendo os postos de emprego.

O director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo do Huambo, Baudilho Vaz, revelou, a OPAÍS, que estão a tentar aproximar os comerciantes que encerraram os estabelecimentos aos empreendedores e aos grandes empresários, no sentido de se entreajudarem. “Os grandes empresários podem ajudar os pequenos a manterem os seus estabelecimentos comerciais da seguinte forma: dando produtos à consignação. Há empresários que têm produtos excedentes nos seus stocks que muitas vezes chegam a caducar, sem serem comercializados”, disse.

Na Direcção Provincial do Comércio estão registadas apenas 15 estabelecimentos comerciais que encerraram as portas, mas o gestor público diz que a cifra é bem maior por existirem empresários que fizeram-na sem comunicarem às autoridades. “Temos informações que estão 152 estabelecimentos comerciais encerrados, mas como não de-ram a conhecer às autoridades, não estão registadas como suspensas”, declarou. Para facilitar a comunicação entre o governo e os empresários, a direcção do Comércio, Hotelaria e Turismo criou uma linha directa de comunicação, por via de um terminal telefónico.

Este meio está à disposição também do cidadão comum. Segundo o gestor público, foram traçados uma série de programas radiofónicos que serão emitidos pela Rádio Mais Huambo (filial do grupo Media Nova) e a estação pública local, com o propósito de aproximar ainda mais os empresários e os cidadãos à instituição pública liderada por Baudilho Vaz. O gestor público declarou que o sector do comércio na província está em crescimento constante, fruto dos esforços que estão a ser envidados com vista a aumentar a rede comercial e “potencializar ainda mais os existentes, com o apoio dos grandes empresários locais e de outras partes do país”. Em posse desta direcção existem entre 100 e 200 processos de potenciais investidores, sendo a maior parte afectos ao ramo das Cash and Carry, que poderão instalar os seus estabelecimentos em breve.

Mais de 5 mil estabelecimentos comerciais em funcionamento

baudilhoActualmente, o Huambo conta 5.222 estabelecimentos comerciais em funcionamento e a equipa de Baudilho Vaz almeja dobrar essa cifra até final de 2018, a contar com as condições sócio-económicas que estão a ser criadas pelo Governo Provincial, com o apoio do Governo Central. A título de exemplo, disse que os mais de 60 Mega Watts de energia que serão gerados pela Central Térmica do Dango será uma mais-valia para o sector, por ser muito difícil desenvolver actividades comerciais sem energia eléctrica, água potável e saneamento básico.

Por outro lado, considerou que a execução do projecto de 2000 ligações domiciliária de água, que se encontra já na fase final também facilitará os comerciantes por ter abrangido muitos estabelecimentos. “É uma mais-valia para o processo de diversificação da economia e expansão da rede comercial. Vai facilitar bastante o nosso trabalho e dará mais segurança para quem vier aqui investir”, frisou. Acrescentou de seguida que “a província precisa de investimentos e tem condições para recebê- los”.

Comentários

comentários