Por desconfiança, o cidadão Fidel António, de 29 anos, matou a
sua esposa. Motivo: o último filho do casal tem a pele mais clara

vitimaO jovem Fidel António, que vivia maritalmente com Maria Lenda, de 24 anos, no município de Cacuaco, Bairro dos Bakongos, e com quem tem três filhos (duas meninas e um rapaz), tem nova ‘residência’ agora, no Comando de Divisão de Cacuaco, cela sem número, e com pretensão de se mudar para a Comarca Central de Luanda (CCL).

Fidel foi obrigado à mudar-se porque está a ser acusado de ter morto a sua esposa por esta ter gerado um filho com a pele mais clara que os mais velhos. De acordo com Pedro Sango, de 56 anos, tio da vítima, o cidadão matou-a à pancada, pois que consta da autópsia que as causas da morte foram a fratura de quatro costelas, traumatismo craniano e golpes com objecto contundente em várias partes do corpo. “Segundo os vizinhos, ele, depois de matar a esposa, entregou-se à Polícia.

“A minha sobrinha foi encontrada nua e ensanguentada”, conta o tio.

O interlocutor avançou que desde o nascimento do último filho, por sinal o único do sexo masculino, que Fidel António implicava com a esposa, porque desconfiava da paternidade do bebé. Fidel tentara já, diz o tio, envenenar o filho, mas sem sucesso. Em função dessa atitude, foi aconselhado pela família da esposa, principalmente pelo seu sogro, a manter a calma, uma vez que na família existem pessoas com a cor de pele mais clara.

“Ele não se convenceu e, hoje, acabou por destruir a relação que há mais de 7 anos manteve, por coisas que não fazem sentido.
A sua mulher é de pele mais clara, do mesmo modo que a sogra, então, é normal que o filho tenha herdado a cor da mãe”, reclamou.

O pequeno Paulinho, inocente, último filho do casal, com um ano de idade, estava ao colo da tia (que também é de pele mais clara) e não parava de chorar. Ao lado, e também tristes com a situação, estavam as duas irmãs (de pele mais escura), uma de seis anos e outra de três.

A mãe de Maria clamava por justiça enquanto chorava, ao ponto de perder as forças e não conseguir se pôrmanter-se em pé. Fidel criou um vazio na família Lenda e muita revolta, pois “cometeu um crime sem razão para tal, uma vez que até o filho tem a sua aparência e a nossa família tem muitos claros”, lamento a mãe da vítima, Ana Pedro.

Maria Lenda foi a enterrar, ontem, no Cemitério do Catorze, enquanto Fidel chora na cadeia e diz que cometeu um grande erro. “Ele vai ser odiado pelos filhos e já não é bem-vindo entre nós. Tudo o que peço é que se faça justiça”, repetia a mãe da malograda.

‘O cidadão mostra arrependimento’

RosarioO comandante da Divisão de Cacuaco confirmou a detenção de Fidel e lamentou o sucedido, tendo avançado que o mesmo, nesses dias, tem-se mostrado arrependido, uma vez que não pára de chorar e pedir que o ajudem. Joaquim do Rosário garantiu que, nos próximos tempos, o indivíduo será ouvido e encaminhado à Comarca Central de Luanda. Do mesmo modo, fez saber também que está encarcerado o pastor que violou e engravidou a sua crente, no bairro Malueca.

Comentários

comentários