A Procuradoria francesa anunciou, esta Quinta-feira, que vai prosseguir o inquérito sobre François Fillon.

O candidato da direita às eleições presidenciais, de 23 de Abril, em França, é suspeito de ter benefi ciado a mulher com um emprego fictício. Em comunicado, a Procuradoria informa que estão ainda a ser recolhidas provas. O inquérito preliminar, iniciado em Janeiro, e que partiu de notícias publicadas na imprensa, indica que Fillon terá, alegadamente, utilizado fundos públicos na contratação fictícia de Penelope Fillon, como sua assistente parlamentar.

O caso afectou a popularidade de Fillon, que foi ultrapassado pela candidata da extrema direita Marine Le Pen. De acordo com as últimas sondagens, a líder da Frente Nacional passará à segunda volta, mas perde a presidência para o centrista e antigo ministro da Economia, Emmanuel Macron.

De acordo com uma nova sondagem para a Paris Match, iTELE e Sud-Radio, pelo Instituto Francês de Opinião Pública (Ifop), Benoît Hamon não vai além da primeira volta, recolhendo 15% das intenções de voto. Jean-Luc Mélenchon fica se pelos 11%. O escândalo Fillon promete marcar a corrida ao Eliseu. O líder da direita tem reiterado que se retira caso seja acusado. O prazo para a apresentação das candidaturas às presidenciais termina a 17 de Março.

Comentários

comentários