Maka no Lubango

Depois de há alguns anos o governador Isaac dos Anjos (naquela altura) ter demitido o administrador municipal do Lubango acusando-o de ter vendido um jardim da cidade, agora está por lá tudo em alvoroço, quase “mastigando” o administrador municipal actual por, supostamente, ter privatizado o lago da Nossa Senhora do Monte e os jardins adjacentes. Se for verdade, isto é o cúmulo.

Por: José Kaliengue

Se for verdade, o administrador já era, de tanta indignação que os lubanguenses fazem questão de mostrar. E mais ainda quando a cidade está praticamente uma lixeira a céu aberto. Vem aí uma manifestação.

Os promotores da exploração comercial concessionada do espaço surgiram no fim da tarde de ontem com imagens e explicações sobre o projecto. A questão é simples: com tanto espaço neste país grande, o que é que leva pessoas a pretender ocupar exactamente os espaços públicos das cidades?

Será que é difícil entender que as cidades precisam de espaços livres, espaços verdes, parques, etc., e com gestão municipal, que sirvam de locais de acesso democrático e livre para o exercício também da cidadania das pessoas? Tudo tem de ser feito só a pensar em dinheiro?

Será que os nossos administradores e governadores sabem todos eles o que é uma cidade? …O que é o interesse público? É desesperante! Mas sugiro aos empreendedoes um negócio, só que iria falir, de certeza. Gostaria que se vendesse por cá “vergonha na cara” a alguns decisores deste país.