loader

“Geração 80” exibe documentário “Do Outro Lado do Mundo”

Com aproximadamente 52 minutos, e inspirado na ideia original do cineasta cubano Ever Miranda, o documentário destaca a história e as relações humanas contemporâneas entre Angola e a China

Por: Ireneu Mujoco

A empresa audiovisual angolana Geração 80 Produções vai promover um evento aberto para a exibição do documentário “Do Outro Lado do Mundo”, em acto que decorrerá na próxima Terça-feira, 21, às 18 horas e 30 minutos, no Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA), na baixa de Luanda.

Segundo uma nota enviada a OPAÍS, o documentário, com a realização de Afonso Sérgio e produção de Tchiloia Lara, foi o projecto vencedor do concurso nacional de selecção do programa DOCTV CPLP II em Angola, edição de 2015, voltado à produção e tele-difusão de documentários.

É um filme de longa-metragem que destaca as relações humanas contemporâneas entre Angola e a China, através de dois casais de diferentes realidades, nacionalidades e vivências na sua busca pela felicidade e por melhores condições de vida. Com a chegada da paz, Angola potenciou a relação económica com a China. Essa relação originou movimentações humanas e afectivas.

DOCTV CPLP II

O DOCTV é um programa que pretende estimular o intercâmbio cultural entre os povos dos países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e oferecer às plateias internacionais conteúdos audiovisuais que apresentem uma visão contemporânea dos países desta comunidade no mundo.

Sinopse

O documentário levanos por uma viagem pelo amor sentido por duas mulheres de culturas diferentes pelos seus respectivos companheiros. A primeira chama-se Paulina, uma angolana do Bentiaba que conhece Johnny – um cidadão chinês que veio para Angola construir uma estrada que fica por acabar – deixando Paulina com dois filhos e com a esperança de Johnny regressar um dia.

A segunda mulher é Sofia, que chega a Angola com o seu marido Inácio, exbolseiro na China, deixando no seu país o filho de ambos. Inserida numa cultura diferente, com um nome “adaptado” para ser mais fácil de pronunciar, Sofia procura entender se essa mudança a afastou demasiado de si própria.

As duas mulheres partilham a coragem e a ousadia para mudar o seu destino e quebrar barreiras culturais em prol da felicidade. Para além de Sérgio Afonso, na realização, produção executiva de Tchiloia Lara, e edição de Kamy Lara, o documentário conta com a participação sonora de Ndaka Yo Wini.

Últimas Notícias