Editorial: Venha então o relatório

Isabel dos Santos esteve ontem no noticiário principal da TV Zimbo, o das 20:00h, e falou sobre a sua passagem pela Sonangol. Deu a cara e defendeu o seu legado.

Por: Redacção OPaís

Disse que melhorou as finanças da empresa, justificou a suspensão das obras da refinaria do Lobito basicamente pelo facto de o projecto ter pelo menos vinte anos, e, portanto, estar desactualizado, e revelou que tinha uma boa relação com as empresas operadoras do negócio dos petróleos em Angola.

Isabel dos Santos reclamou para a sua equipa o início da exploração da fábrica de LNG do Soyo, tal como a transportação de combustíveis por comboio para o Leste do país. Ora, aconteceu que fontes convergentes disseram aos meios de comunicação social, no dia da sua exoneração, que a sua saída tinha sido ditada pelo conteúdo do relatório sobre sobre o diagnóstico que o Presidente da República mandara apurar por uma comissão de que fazia parte também a Sonangol.

Portanto, Isabel teve (ou devia ter) conhecimento do conteúdo do relatório. Ela diz que os factos noticiados não constam no relatório. Tudo isso leva a uma única saída: o relatório deve ser tornado público, para que se desfaçam as dúvidas