Editorial: Tem de ser assim

Politicamente o país está estável e parece estar a caminhar bem. Aliás, nem mesmo a Oposição está a levantar ondas. Estão a acontecer movimentações naturais e exigíveis quando se muda de Governo num país.

Por: Redacção OPaís

Há que nomear pessoas de confiança e para que assim seja podem ser removidas pessoas de determinados cargos. Algumas vezes estas mudanças servem para dar outro ânimo, ainda que tudo se passe com gente do mesmo partido e, como tal, com identidade ideológica segura.

Há critérios que dependem apenas da visão de quem lidera. Para os espectadores, tudo isso pode ganhar uma dimensão que cabe no tamanho da imaginação de cada um.

Seja como for, estamos a falar de políticos, gente calculista, que sabe quando e como atravessar desertos, que sabe reinventar-se e dar a volta por cima. Gente que (quando são mesmo políticos), sabe gerir silêncios e oportunidades. Afinal, ainda estamos tão no início deste Governo. Daqui a pouco tudo acalma e as pessoas verão cada gesto como natural, próprio da governação.

  • Hanguima tchilongo

    ATÉ QUANDO AVÔ MUGABE?
    Com todas as ave marias que há décadas de anos fez o nosso vovô ainda resiste a pressão da natureza, querendo manter-se no poder…que vergonha… para os Inglês morrer sem nunca passar vergonha é uma conquista do dia-a dia, parece.-me que entre nós na ÁFRICA o despudor é virtude.O imbatível Mugabe,,ignorou todas as teorias sobre democracia,até o catolicismo que sempre defendeu para pisar na Europa participar da missa de corpo presente do Papa João Paulo II, mastigou tantos ensinamentos bíblicos que transformou-os em bélicos…para desgraçar o povo.
    Tantos diplomas de Doutoramentos inclusive, para enfatizar o velho ditado “os que estudam muito ficam malucos”mais uma vergonha para os académicos, sem falara dos políticos cuja linhagem de pensamento é contrária as velhas …soubadismo…ombalismos…
    Mas até quando?