SADC cancela missão ao Zimbabwe

Robert Mugabe renunciou ontem à Presidência do Zimbabwe, segundo anúncio do presidente do Parlamento, Jacob Mudenda, o que anuka a necessidade de uma mediação regional

A evolução política no Zimbabwe, com o anúncio da retirada do poder do Presidente Robert Mugabe, ditou que os presidentes de Angola, João Lourenço, e da África do Sul, Jacob Zuma, já não se deslocam hoje, Quarta-feira, à República do Zimbabwe, como fora ontem recomendado na cimeira da Troika da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

O objectivo da missão, decidida pelo Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da SADC, em Luanda, seria avaliar a situação no terreno e buscar mecanismos para solucionar a crise instalada com as contestações em torno da liderança do Chefe de Estado do Zimbabwe, Robert Mugabe, e as pressões para a sua renúncia.

A decisão fora tornada pública no final da Cimeira da Troika do órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da SADC, referindo que a participação dos dois estadistas se deveria ao facto de Jacob Zuma ser o líder da organização regional e de João Lourenço ser o responsável pelo Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança.

A organização manifestou a sua profunda preocupação com o desenrolar da situação política neste Estado membro. No fim da Cimeira ainda não havia notícia da renúncia de Mugabe. Num breve comunicado, após a reunião de cerca de uma hora, os participantes felicitaram o Presidente angolano, João Lourenço, na qualidade de líder do órgão, por ter acolhido o evento.

Ao anteceder a reunião, o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, e o seu homólogo sul-africano, Jacob Zuma, mantiveram um encontro de concertação de cerca de 30 minutos.

A Cimeira teve carácter de urgência e foi uma iniciativa do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, na qualidade de presidente do Órgão de Política, Defesa e Segurança da SADC, para avaliar a situação reinante no Zimbabwe, país da África Austral cujo Chefe de Estado, Robert Mugabe, estava sob o controlo de militares desde a madrugada do dia 13 deste mês.

Angola, Zâmbia e Tanzânia integram a Troika da SADC, organização regional da qual o Zimbabwe é membro. Angola preside o Órgão para Cooperação Política, Defesa e Segurança da SADC. Já a África do Sul, que também esteve representada na reunião de Terça-feira, preside a organização da qual fazem parte 15 estados.

Na noite do dia 13 deste mês, militares cercaram a residência do Presidente da República do Zimbabwe, Robert Mugabe, tomaram de assalto as instituições públicas, detiveram personalidades influentes da política e sitiaram a cidade capital, Harare, o que deteriorou a situação política e militar no referido país.