Liceu francês com novo edifício para acomodar estudantes finalistas

Começou com pouco mais de 40 alunos. Hoje acolhe quase mil. O liceu francês em Luanda, que homenageia Alioune Blondin Beye, continua a crescer em infra-estruturas e estudantes

Por: André Mussamo

Zena, de 13 anos, canadiano e José Maria, 12 anos, de nacionalidade angolana, frequentam o 5º ano. As suas colegas de escola, Clémence, de 17 anos, e Julia, 16, estão a terminar os seus estudos.

Os quatro adolescentes são estudantes do Liceu Francês de Luanda e, apesar de serem provenientes de diferentes pontos, têm nesta instituição escolar o primeiro denominador comum.

Entretanto, na breve história que cruza estes cidadãos do mundo abundam várias pequenas histórias que podiam ser contadas, nomeadamente o facto de que todos aprenderam a falar português em Angola, porque os seus progenitores, que trabalham em território nacional, podem ter os filhos a frequentar uma escola alinhada com método e metodologia a “la francaise”.

Aliás, o projecto originalmente destinava-se ao ensino de filhos dos trabalhadores franceses em Angola, tendo em conta que o liceu aplica o programa do ensino francês e prepara para os mesmos exames e diplomas à semelhança daquilo que é feito em França.

Entretanto, alguns anos depois, a Escola Francesa passou a oferecer uma educação bilingue a alunos de várias nacionalidades e, consequentemente, foi acolhendo alunos de várias nacionalidades. Hoje pode gabar-se de ser um espaço de “convergência” e que a cada dia atrai mais interessados que vão crescendo em número, dando assim origem a uma escassez de espaço.

Foi dessa necessidade de mais espaço que surgiu o novo edifício do Liceu Francês de Luanda Alioune Blondin Beye, que é inaugurado hoje numa cerimónia que contará com a presença do embaixador da França em Angola, Sylvain Itté, do director da Agência para o Ensino Francês no Estrangeiro (AEFE), Christophe Bouchard, e da ministra da Educação de Angola, Cândida Teixeira.

O novo edifício da instituição surge em resposta ao aumento da procura dos seus serviços, pois nos últimos tempos a capacidade de resposta foi ultrapassada, razão pela qual decidiu-se a sua extensão com a construção de um novo edifício com 15 salas de aulas, incluindo salas de desporto, música, informática, bem como uma área para a cafeteria e escritórios.

Situado na zona escolar 1° de Maio-Largo das escolas-Maianga, o liceu existe desde 1977 e foi inaugurado nas suas instalações actuais em 1999. No seu primeiro ano de existência contava 47 alunos, agora estão matriculados na instituição 926 alunos, sendo metade deste número jovens angolanos.

Os quatro adolescentes referidos no início desta matéria são somente uma amostra da multiplicidade de nacionalidades colhidas pela instituição, sub-divididas em 50% de angolanos, 40% provenientes de França e 10% distribuídos pelas restantes nacionalidades.