SADC adia desdobramento de contingente militar no Lesoto

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) anunciou o adiamento do desdobramento de um contingente militar no Lesotho, dissipando receios de que a organização regional não esteja disposta a garantir a paz neste país.

Num comunicado do seu Secretariado em Gaberone, a organização subregional indica que o desdobramento inicialmente previsto para hoje 28 de Novembro corrente fica adiado “sine die”, devendo as novas datas deste ato serem comunicadas “em tempo oportuno”. “A SADC deseja reafirmar o seu apoio ao povo do reino do Lesotho para facilitar um ambiente seguro, estável e pacífico favorável ao respeito do primado da lei necessário para a aplicação das decisões da SADC, incluindo as reformas do setor da segurança”, indica a nota.

Segundo o documento, mais de 50 porcento das infraestruturas estão prontas para acolher as forças do contingente da organização. A SADC tomou a decisão de desdobrar tropas no Lesotho depois do assassinato do então chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas do país, tenente-general, Khoanthe Motšomotšo, a 5 de Setembro.

A 15 de Setembro, em Pretória, na África do Sul, a organização examinou o relatório da Missão de Inquérito Ministerial desdobrada no Lesotho e tomou a decisão de desdobrar um contingente. O relatório indica que sete dos 15 Estados membros da SADC (Angola, Malawi, Namíbia, África do Sul, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe) vão contribuir tropas para o contingente.