Sapalo António impugna IVº congresso do PRS

Membro fundador do Partido de Renovação Social (PRS), o político procura junto do Tribunal Constitucional impugnar os resultados do IVº Congresso Ordinário do partido, em que perdeu para o Benedito Daniel.

POR: Maria Custódia

O candidato derrotado Sapalo António considera que o congresso não cumpriu as normas do partido e acusa o actual presidente, Benedito Daniel, de ter sido o mentor das irregularidades. O político confia que o Tribunal Constitucional, enquanto órgão competente, vai estudar, pesquisar profundamente e chegar à conclusão de que não foi realizado nenhum congresso normal ordinário, mas sim um congresso atípico.

A seu ver, o encontro foi viciado com fortes irregularidades aos estatutos e da directiva que regula o próprio congresso. “Eu não considero aquilo como congresso ordinário, mas sim um congresso atípico e viciado”, disse. As irregularidades estão relacionadas com a não realização de assembleias de núcleo a nível nacional, sem as quais não poderia ter havido congresso, assim como não deve haver conferências municipais sem que estes delegados sejam ouvidos pelas conferências comunais.

Para ele, realizou-se o congresso sem se ter feito as assembleias de núcleo. Por este facto, encaminhou a reclamação às entidades competentes e um advogado seu está a tratar do assunto. “O actual presidente do partido PRS,Benedito Daniel, que foi candidato neste congresso, é um dos mentores de todas irregularidades”,
disse Sapalo António, defendendo a anulação do IVº congresso ordinário do PRS, para que seja realizado um outro dentro das normas e do estatuto do partido.

Disse ainda que a direcção do seu partido já foi notificada sobre o assunto pelo Tribunal Constitucional para que se pronuncie no prazo de 30 dias. Ele próprio recebeu a notificação no passado dia 14 de Novembro. A direcção encabeçada por Benedito Daniel deve refutar as acusações até 14 de Dezembro.

Sapalo acredita que alguns membros da direcção desconheçam a existência desta notificação e que o congresso já foi impugnado. Lamentando a fuga de membros e a suspensão da militância por outros quadros , entre os quais João Baptista Ngandangina, Sapalo diz que não avançou anteriormente com a impugnação para não perigar a participação do PRS nas eleições de Agosto passado, em que conseguiram apenas dois lugares no parlamento.

Sapalo António referiu ainda que continua a militar no PRS, mas que já foi convidado a fazer parte de vários partidos políticos que poderão surgir. Por outro lado, o secretário-geral do partido, Rui Malopa Miguel, assegurou que o partido não recebeu qualquer notificação do Tribunal Constitucional sobre a impugnação do Vº Congresso Ordinário, realizado entre os dias 29 e 30 de Maio do corrente ano.