‘A Lívia é selvagem, violenta e sem lei”

Grazielli Massafera ‘Grazi’ é uma actriz brasileira que neste momento interpreta o personagem ‘Lívia’ na novela “O outro Lado do Paraíso”, emitida pela ZAP, com quem OPAÍS falou via correio electrónico, sobre o seu novo desafio profissional.

POR: Valquiria Martins

Quem é o personagem “Lívia” na novela “O outro Lado do Paraíso”?
A Lívia é filha da Sohpia (Marieta Severo), irmã de Gael (Sérgio Guizé) e de Estela (Juliana Caldas). Eles vivem em Palmas, em Tocantins. Ela é sem lei, praticamente selvagem, transgressora. Acho que ela é tudo aquilo que a mãe não queria que ela fosse. Ela é um ser bonito, a mãe queria que ela fosse assim, mas vem com os valores todos trocados.

Se bem que a família tem os valores trocados. As cordialidades praticamente não existem, ou existem da forma como eles acreditam que sejam. Eu falei um pouquinho da família porque diz muito daquilo que a Lívia é. Ciumenta, selvagem, sem lei, mimada (risos). Ela é filha da grande vilã da novela, não tem como ela ser uma pessoa com grande sanidade.

O que é que essa personagem tem de mais desafiador?
O desafio de fazer a Lívia são todos. Ela é mais pesada do que eu, ela é muito mais desaforada, muito mais debochada. É muito diferente de mim. É uma personagem bem diferente. Ela queria ser mocinha, mas não consegue. Ela queria ter boas atitudes, mas não consegue. Acho que ela tem um vazio muito grande, sente a falta do pai, tem uma mãe muito opressora, e tudo isso resulta nas atitudes dela. Vive numa cidade em que são eles que mandam.

Então ela não tem lei, faz o que quer, não tem hierarquia a não ser a própria mãe, e o resto não existe. O Gael é praticamente um delinquente. São pessoas amorosas do seu jeito, têm um jeito muito específico de amar e estranho para quem não entende. Para a gente também, estudando e vendo, é muito estranho o jeito que eles se relacionam.

Há a questão da maternidade, que é um sonho dela, mas algo que ela não vai conseguir concretizar. Como é a relação dela com esse sonho de ser mãe?
Tudo o que ela quer, ela consegue. E nesse caso, por uma fatalidade do destino, ela não consegue ser mãe. E aí mora o grande problema, ela encontra esse buraco
que é não conseguir gerar uma criança. E como ela consegue tudo o que quer, vai dar o jeito dela. Assim, vai sofrer as consequências disso.

Por outro lado, a Lívia vive um amor de idas e vindas com o Renato (Rafael Cardoso). Como está a desenrolar-se este trabalho com o Renato?
O Renato instiga-a. Acho que a Lívia não sabe amar no real sentido da palavra, do sentimento em si. Ela está sempre buscando algo que não encontra, no relacionamento e em tudo. E o Renato simboliza o novo, o forasteiro. Ele não é de Palmas e tem um quê de selvagem, que vem de fora. Ela se encanta por isso, e é daquelas mulheres que ama demais, mas não no sentido do “amor”, no sentido da posse. Ela é ciumenta demais, assim como Gael. Acho que eles são muito manipulados pela mãe.