Companhia Resgarte encena “A Morte Chama” Sexta-feira

“A Morte Chama” surge um ano após a Companhia de Artes Resgarte ter exibido “Hamlet: O Preço da Vingança”, um clássico do teatro de William Shakespeare.

POR: Jorge Fernandes

Com duas sessões marcadas para esta Sexta-feira, sendo a primeira às 19 horas e a segunda às 20 horas e 30 minutos, a Companhia de Artes Resgarte traz em cena a peça teatral intitulada “A Morte Chama”, baseada na obra do escritor e cineasta norte-americano Woody Allen, a conhecida “Death Knocks”, a decorrer no Hotel Epic Sana, em Luanda.

Adaptada para o contexto angolano, pelo encenador e director da Companhia, Emanuel Nkruma Paim, a narrativa da obra desenrola- se ao longo de uma interessante, profunda e inesperada conversa mantida entre Nanga, um jovem empresário angolano bem sucedido, e a “Morte”, face a qual, com rebuscada astúcia procura prolongar o seu tempo de vida na terra.

A história decorre quando Nanga lia um livro em casa, e, inesperadamente, surgiu-lhe a “Morte” com a missão de levá-lo “desta para outra”. Na tentativa de esquivar- se deste destino inusitado (morte), “Nanga” sugere um interessante jogo entre ele e a morte, na perspectiva de prolongar o seu tempo de vida na terra.

“Num momento de grandes incertezas e mitos em torno da morte, principalmente numa sociedade bastante materialista, a peça procura chamar a atenção e provocar uma reflexão sobre o comportamento humano, levando-o a encarar a morte como uma certeza que convive connosco todos os dias’’,

esclareceu o encenador. Nesta linha factual, Nkruma Paim aconselha: “não importa a quantidade e o valor dos bens que o individuo tenha, e a sua condição social, tudo o que ele possui ficará na terra. ‘‘Estamos perante uma peça que apela à vida e a valorização do homem”, sublinhou.

Moral da história

O director da Companhia considera o criador Woody Allen um autor que oferece uma proposta surrealista com profundo teor histórico, que emerge na filosofia e culmina nas noções religiosas sobre o ciclo da vida ou da morte. ‘‘Na verdade, a obra aborda a forma inesperada como a “Morte” aparece na casa de Nanga com a missão de levá-lo”.

Na tentativa de esquivar-se do seu destino, Nanga propõe-lhe assim esse interessante e desafiante jogo, cujo objectivo final é prolongar o seu tempo de vida na terra”, concluiu.