Cidadãos enaltecem isenção de vistos com África do Sul e Moçambique

Entraram, ontem, em vigor os acordos sobre isenção de vistos em passaportes ordinários assinados entre os governos de Angola e da África do Sul e Moçambique.

POR: Neusa Filipe e Maria Custódia

Cidadãos ouvidos, ontem, pela equipa de reportagem deste jornal, engrandeceram a medida tomada pelos governos angolano, da África do Sul e de Moçambique que anula a exigência de vistos e deste modo “derruba” as barreiras fronteiriças, promove a livre circulação entre os povos dos respectivos países.

Entretanto, esperam também por melhorias no que respeita às políticas cambiais ou acesso às divisas. Eliseu Almeida, 27 anos de idade, e assistente de Call Center, enalteceu a medida adoptado pelos governantes de suprimir vistos para a África do Sul e a Moçambique, por trazer benefícios na troca de experiências entre os três países, visto que uns encontram- se mais desenvolvidos em relação aos outros.

Considerou a África do Sul um país com níveis de desenvolvimento bastante avançados, um factor que através da cooperação económica vai favorecer Angola. “As pessoas, por exemplo as que têm vontade de aprender a língua inglesa, terão agora melhor oportunidade.

Os três países têm culturas e modos de vida diferentes, portanto, a medida implementada pelos governantes vai mesmo facilitar o intercâmbio entre os povos em diferentes sectores, embora tenhamos ainda dificuldades na compra de divisas”, apontou Eliseu Almeida. Para Wilson Adão, os referidos acordos eliminam a burocracia antes existente quando os cidadãos pretendessem viajar para um desses países.

Avançou que os empreendedores, turistas e cidadãos em geral terão agora oportunidade para viajar sempre que puderem. “Acredito que trará muitos benefícios para o nosso país, sobretudo nas trocas comerciais. Temos muitos jovens empreendedores que, por dificuldades que se prendem com a aquisição de vistos, não conseguiam viajar a outros países, explorar as valências e potenciais recursos lá existentes”, declarou.

Márcia Sequeira, de 29 anos, disse que este acordo vai promover uma redução nos gastos, mormente, para aquisição do visto. Acrescentou que antes eram dois gastos, agora apenas com um, vai ajudar muitas pessoas a economizar dinheiro para viajar.

Deolinda Venâncio, de 26 anos, referiu que a iniciativa é bastante positiva, uma vez que o processo para aquisição de vistos tem sido muito moroso. “É uma mais-valia, porque vão acabar aquelas filas para adquirir o visto”. Diogo Pérez, de 28 anos, partilha da mesma opinião, e acrescenta que este acordo representará uma grande valia, porque o processo de obtenção do visto era bastante lento.

“É de louvar, uma vez que anulou-se o procedimento de aquisição de visto”. O acordo sobre isenção de vistos em passaportes ordinários entre o Governo da República de Angola e de Moçambique, concluído a 17 de Novembro, em Luanda, entrou em vigor imediatamente a seguir à sua assinatura, Terça-feira última, pelo Presidente da República e sua publicação em Diário da República.

A medida entrou em vigor, ontem, 1 de Dezembro, significando assim que, os cidadãos dos dois países portadores de passaportes ordinários válidos poderão viajar, sem restrições, para um e outro país, com direito a nele permanecerem por um período de 30 dias. Uma outra medida, que ganhou efeitos práticos desde ontem, 1 Dezembro, é o acordo similar assinado entre Angola e a África do Sul, no passado dia 24 de Novembro, em Pretória, no âmbito da visita de Estado efectuada àquele país pelo Presidente da República, João Lourenço.