Novo formato do Mundial de Clubes ainda não foi aprovado e já dá confusão

A ‘Marca’ revelou durante a semana passada que a proposta que terá sido apresentada pela FIFA para o novo formato do Mundial de Clubes, que se iniciará em 2021, e a ideia foi recebida de uma forma geral com agrado por parte dos adeptos do futebol.

Quem não gostou foi mesmo a Conmebol, que segundo a imprensa brasileira terá já feito saber o seu desagrado perante a repartição das equipas por cada confederação. De acordo com o ‘Estadão’, a Conmebol estará a torcer o nariz à proposta apresentada, exigindo ter o mesmo número de equipas que a UEFA e pretende que a situação seja discutida numa nova reunião.

De resto, segundo a mesma publicação, no seio da confederação sul-americana há o medo de que a UEFA assuma cada vez maior preponderância no seio da FIFA e que coloque a Conmebol como mero ‘figurante’. Ora, ao que parece, na base da proposta de divisão das equipas por confederação estará o marketing, já que a FIFA considera que um maior número de equipas europeias terá o potencial de atrair mais patrocinadores e permitirá fazer contratos mais lucrativos.

  • Claudio dos Santos

    Essa matéria se resume a uma só palavra, “INJUSTIÇA”, injustiça por parte da FIFA com os outros continentes, cada continente deveria contar com pelo menos os seus quatro últimos campeões, por direito. Podemos até compreender que a FIFA pretende incluir oito representantes da UEFA, quatro últimos campeões e vices respectivamente, por motivo de patrocínio atrativo, mas outros quatro por tabela é vergonhoso.