Hora da expansão

Apesar de ter subido a taxa de juros, o Banco Nacional de Angola libertou os bancos das amarras demasiado apertadas dos depósitos obrigatórios e da cativação de massa monetária para o acesso às divisas.

POR:José Kaliengue

Se os juros mais altos podem retrair o investimento e a contração de empréstimos, mais dinheiro em circulação pode, por outro lado, estimular o consumo e animar mais a economia. As medidas do BNA devem ter tido em conta, necessariamente, a retoma económica mundial e as perspectivas de crescimento da economia angolana, nos últimos tempos apresentadas de formas mais positivas que há uns seis meses.

Se a economia pode crescer, se se pode estimular o consumo, então pode-se acelerar a produção de bens nacionais no processo de diversificação económica, o que requererá uma rápida abertura ao investimento estrangeiro, acompanhada da afinação das garantias a encontrar no nosso ambiente de negócios.

Resumindo, haverá mais dinheiro em circulação e juros mais altos para que toda essa massa monetária não resulte numa subida da inflação. Ao mesmo tempo, estimula-se a produção, o que, no fim de tudo, pode beneficiar o mercado do emprego. Em breve poderemos abandonar a palavra “crise”.