Japão e Angola: Retrospectiva e Perspectiva

Em 2016, quando cheguei à Angola, comemorava-se os 40 anos das relações diplomáticas entre o Japão e Angola. No ano corrente, as relações têm estado a ser cada vez mais incrementadas nos mais variados sectores de actividade. O meu primeiro ano em Angola está repleto de avanços e sinto- me orgulhoso de trabalhar como Embaixador do Japão em Angola.

POR: HIRONORI SAWADA

No âmbito político, em 2017, distintas personalidades japonesas realizaram uma série de visitas a Angola, com realce para a vinda da delegação parlamentar composta pelos senadores Sr. Sato e Sr. Horii, em Janeiro, o Deputado Sr. Yamagiwa, em Agosto, e o ex-senador Sr. Yano, em Novembro.

Em Julho, o Japão e Angola anuíram apoiar-se reciprocamente com sucesso para que as candidaturas da cidade de Mbanza Kongo e das “Ilhas sagradas” de Okinoshima e da Região de Munakata, do Japão, fossem aprovadas como patrimónios mundiais da UNESCO. Em Agosto, o Japão organizou, em Maputo, a reunião ministerial da TICAD, que contou com a participação da Sra. Ângela Bragança, então Secretária de Estado das Relações Exteriores, que, na ocasião, teve um encontro bilateral com o Vice-Ministro Sr. Manabu Horii. Em 2018, será realizada no Japão a reunião ministerial da TICAD e em 2019, em Yokohama, terá lugar a cimeira da TICAD 7, na qual tenho a expectativa de que as autoridades máximas da República de Angola venham a participar.

Em Setembro, no acto do empossamento do novo Presidente, S.E. Sr. João Lourenço, eleito nas eleições gerais realizadas pacífica, justa e democraticamente em Agosto, esteve presente o Sr. Masahisa Sato, Ministro de Estado dos Negócios Estrangeiros, como enviado especial do Primeiroministro, o Sr. Shinzo Abe. Na ocasião, o Sr. Sato foi recebido em audiência pelo novo Presidente, na qual os dois concordaram em incrementar as nossas relações, em especial no sector económico.

Quanto ao sector económico e cooperação, o ponto mais alto neste ano foi o lançamento do primeiro cabo submarino de Africa, com alta tecnologia japonesa da NEC e financiamento do JBIC (Banco para a Cooperação Internacional do Japão). A JICA, Agência de Cooperação Internacional do Japão, também desempenhou um grande papel através de vários projectos, como a melhoria do Porto do Namibe, assim como assistência técnica nas áreas de energia, saúde e agricultura.

O projecto de produção de algodão na província de Malanje, certamente contribuirá futuramente não apenas para aumentar a produção agrícola, mas também para a diversificação da economia angolana. No âmbito da Assistência a Projectos Comunitários, o Japão financiou várias ONG cujos projectos consubstanciam-se em prol do desenvolvimento comunitário e social nos sectores da educação, saúde e desminagem.

Continuaremos realizando projectos para melhorar as condições de vida da população angolana. No âmbito cultural, a Embaixada promoveu no mês de Julho um seminário para melhorar a divulgação da autêntica gastronomia japonesa que está a tornar-se cada vez mais popular mundialmente. Em Agosto, a selecção angolana de andebol feminino foi ao Japão, onde participou em 2 torneios.

Gostaria de salientar que em 2019 será realizado o campeonato mundial de andebol na província de Kumamoto, minha terra natal. Em 2020, serão realizados em Tóquio os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Consequentemente, o Governo do Japão está a promover o programa “Sports for Tomorrow”, expandindo e proporcionando assistência aos países em desenvolvimento.

O Sr. Presidente João Lourenço, no seu discurso inaugural, mencionou o Japão como um dos países prioritários com que Angola deseja incrementar o seu relacionamento. Não pouparemos esforços para trabalhar com o novo Governo angolano, para estreitar ainda mais as relações entre o Japão e Angola.