Segurança da vida humana em análise nos Bombeiros

O secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico, Hermenegildo José Félix, recomendou, nesta Terça-feira, 5, em Luanda, que o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros seja o principal porta-voz das estratégias do Executivo para minimizar a perda de vidas e de bens, agindo de forma rápida e eficiente.

POR: Maria Teixeira

Os bombeiros estão preocupados com o aprimorar das estratégias de socorro nas ocasiões de incêndios, acidentes de viação, afogamentos em mares, rios e outros depósitos de água, conforme referiu o comandante do SPCB, Bênção Cavila Nyoka Abílio, que apela para o maior engajamento profissional, acompanhado pela disciplina e pelo rigor no cumprimento cabal da missão.

Para tal, o Serviço de Protecção tem levado a cabo cursos de formação de brigadas contra incêndios em diversos objectivos económicos e sociais estratégicos do país. Outra medida é a de minimizar os efeitos das catástrofes, calamidades e vulnerabilidades diversas, desenvolvendo estudos e procedimentos susceptíveis de garantir níveis de resposta elevados por parte dos sinistrados, sendo as descargas eléctricas um grande problema em muitas localidades.

Estão igualmente a intensificar as acções de sensibilização e mobilização social através de conselhos uteis aos banhistas e utentes de praias, rios, lagos, lagoas e cacimbas de forma a incutir a cultura de segurança balnear e reduzir o número de afogamentos.  Ao intervir na cerimónia de abertura do 2º Conselho Consultivo Alargado do SPCB, o secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico explicou que se deve atenuar ou limitar os efeitos dos acidentes graves ou catástrofes e restabelecer, rapidamente as condições sociais mínimas das populações afectadas.

Segundo o titular da pasta, têm acompanhado o desenvolvimento da corporação em todo o país, e constataram uma significativa ascensão no esforço, luta e entrega na resposta operativa nas mais distintas ocorrências. Disse ainda que devido ao crescimento um pouco desordenado das nossas cidades, sobretudo das zonas suburbanas, a qualquer hora, os Bombeiros são chamados a intervir na busca de soluções, expondo as suas vidas e os meios técnicos a enormes riscos em prol da salvaguarda da vida da população e seus bens.

“Sabemos que Angola cresce a cada dia que passa e é perfeitamente racional deduzirmos que quanto mais vastas e complexas forem as infra-estruturas, maiores serão os riscos de ocorrência de acidentes e incidentes que podem ocasionar perdas de vidas humanas e danos materiais, aumentando a necessidade de se aprimorar as condições de segurança em matéria de prevenção de incêndios, gestão de desastres e atendimento pré-hospitalar”, disse.

O encontro, que decorreu sob o lema “Dar vida para salvar vidas”, teve como objectivo primordial o balanço e análise das actividades desenvolvidas pela corporação durante este ano de 2017 e contou com a presença dos comandantes provinciais, oficiais comissários, membros do Conselho Consultivo normal do Ministério do Interior, dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, oficiais superiores e subalternos, entre outros.