Três supostos traficantes de marfim detidos no sudoeste do Congo

Três pessoas em flagrante delito de posse e tentativa de comercialização ilegal de duas pontas de defesa de marfim foram detidas em Sibiti, no departamento de Lékoumou, no sudoeste do Congo.

Segundo uma fonte próxima ao Ministério congolês do Ambiente, esta detenção foi efectuada pela Gendarmaria Nacional e por elementos da Brigada da Economia Florestal graças à informações fornecidas pelo Projecto de Apoio à Aplicação da Lei sobre a Fauna Selvagem (PALF).

As três pessoas detidas, de idades compreendidas entre os 31 e os 50 anos, são todas de nacionalidade congolesa, segundo a fonte. O mentor deste cenário, Luc Moussa, vinha a ser julgado por abate de uma espécie integralmente protegida, por detenção e circulação de troféus de uma outra espécie integralmente protegida.

O marfim apreendido provinham da floresta na fronteira entre o Congo e o Gabão. Caçador de elefantes e de outras espécies animais selvagens, no departamento de Lékoumou, Luc Moussa, depois de massacrar elefantes, utilizava, para o transporte dos marfins, sacos de carne de animais selvagens para enganar a vigilância dos agentes dos serviços de controlo ao longo da estrada Komono-Sibiti (Sul).