Fornecimento de água em Luanda “sem restrições” a partir de 2020

Técnicos do Governo Provincial de Luanda e da EPAL consideram que os luandenses beneficiarão do serviço sem restrições após a conclusão dos projectos Bita e Quilonga.

Os problemas ligados à captação e distribuição de água na Província de Luanda poderão ser solucionados a partir de 2020. A informação foi avançada ontem, em Luanda, no encontro entre os técnicos do Governo Provincial de Luanda( GPL) e os representantes do Ministério da Energia e Águas e da EPAL. Segundo uma nota de imprensa que chegou à redacção deste jornal, os Luandenses vão beneficiar da distribuição de água potável sem restrições quando os projectos Bita e Quilonga forem concluídos.

Actualmente, a província necessita de cerca de 1,1 milhão-1,2 milhões metros cúbicos de água/ dia, porém, a capacidade real disponível é de 516,582metros cúbicos diariamente, o que manifestamente é insuficiente para suprir a demanda. As insuficiências tem levado muitos dos cidadãos a recorrerem ao consumo de água imprópria.

A existência de inúmeras ligações, recentemente implantadas e que não estão a fornecer água, a captação de água não tratada que é comercializada de forma ilegal às populações, instituições e empresas, e a vandalização de condutas, para fins lucrativos foram apontados pelos especialistas como alguns dos problemas que enfermam o sector. De realçar que alguns trabalhadores da Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL) foram apontados como promotores desta iniciativa que tem desfalcado os cofres da empresa.

Deste modo, foi defendida a implementação de medidas “drásticas” contra todos os crimes perpetrados contra os equipamentos e instalações da EPAL. Participaram no encontro, os vice-governadores, administradores municipais e dos distritos urbanos. Estiveram também presentes o secretário de Estado das Águas, Eng. Luís Felipe, o Conselho de Administração da EPAL representado pelo seu presidente, Dr. Leonidio Ceita, bem como responsáveis das áreas técnicas.