O Museu Regional da Huíla e as Tradições do Sul

O Museu Regional da Huíla é uma instituição pública, permanente, sem fins lucrativos, aberta ao público, que adquire, conserva, investiga e divulga aspectos relacionados com os hábitos e costumes, crenças e tradições das comunidades Nyaneka, Oshiwambo, Ngangela e Herero, ou seja, das províncias do Sul de Angola: Huíla, Cunene, Kuando Kubango e Namibe.

Fundado em 1956/57 por Peixoto Correia, funciona num edifício adaptado a Museu composto por cave e rés-do-chão onde está patente a exposição etnográfica que retrata o modo de vida das comunidades do Sul do país. Ao longo de 8 salas de exposição, o visitante toma contacto com o universo da pastorícia e caça, festas, crenças e superstições, hábitos de beleza, modos de produção agrícola, práticas de pesca, filosofia familiar, cuja poligamia é uma realidade aceite por todos, isto sem esquecer o universo doméstico através da cestaria, olaria e fabrico de cabaças.

O potencial científico e museológico desta instituição não se fica pela sua exposição permanente, uma pequena amostra do que foi a história colonial nesta Região está igualmente bem documentada. No Jardim do Museu o visitante conhece figuras como João de Almeida, Artur de Paiva, Luís de Camões, Agapito de Carvalho e D. José da Câmara Leme, representados em estátuas e bustos. Possui, para além do que está exposto, diversas colecções em depósito, entre elas destacam-se a colecção bibliográfica, fotográfica, colecção de filatelia e uma colecção etnográfica tipicamente portuguesa.

O serviço público desta instituição passa pela mostra duma colecção que pretende divulgar e valorizar a diversidade cultural das comunidades sulanas e também pela existência de uma sala de leitura aberta a estudantes e investigadores, pela oferta de actividades educativas diversas, vocacionadas para escolas, e pela divulgação de outras actividades culturais que vêm no Museu Regional da Huíla um parceiro onde há espaço para múltiplas manifestações de cultura e Artes, como é o caso da realização de feiras de artesanato, de artes plásticas e lançamentos de obras literárias… Encontra-se, desde a aprovação e publicação do seu Estatuto Orgânico (decreto executivo nº5/14 de 8 de Janeiro), em reestruturação interna, em que tem sido prioridade a aquisição de meios de trabalho, melhoria da infra-estrutura, reabilitação do jardim, dinamização do sector educativo e capacitação interna dos funcionários através de acções internas de formação.

Tem nos últimos tempos apostado na melhoria da sua imagem externa e divulgação com a perspectiva de lançamento do primeiro catálogo da sua exposição permanente, patrocinado pelo Banco Económico, ainda em 2017. Para 2018 tem previstas uma serie de acções que passam fundamentalmente pela implementação de dois projectos: “Museu ao Encontro das Comunidade” e “Descobrir quem somos” e a montagem de uma exposição temporária cujo objectivo é divulgar a colecção colonial portuguesa. Está aberto de Segunda a Sexta feira das 9 às 17 horas sem qualquer interrupção. O Museu Regional da Huíla e as Tradições do Sul esperam por si. Venha visitar- nos.