loader

Brasil quer especialização agricola em Angola

Empresários e consultores do sector do agro-negócio analisam áreas de cooperação e troca de experiências.

POR: Norberto Sateco

A Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa) está disponível para transmitir a sua experiência a Angola, visando o reforço da capacidade institucional e de pesquisa dos centros de investigação angolanos. O voto foi expresso durante a visita ao Brasil da delegação angolana chefiada pelo ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Nhunga.

O dirigente angolano manteve, nesta Segunda-feira (11) um encontro com o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, em que se mostrou ainda disponível para contribuir para a actualização do zoneamento agro-geológico de Angola, como a “carta magna” para o desenvolvimento da agricultura nas distintas regiões do país, desenvolvendo as culturas de acordo ao clima, solos e recursos hídricos específicos.

Neste mesmo sentido, o presidente da Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), Roberto Carneiro, também mostrou-se disponível a ajudar o Instituto de Desenvolvimento Agrário de Angola (IDA). “A Emater pode contribuir para o aumento e a especialização da produção camponesa, trabalhando sobre o passivo social e ambiental e desempenhar um papel de educação para o desenvolvimento da comercialização, do turismo rural, do artesanato e de actividades agro-extractivas e de serviços agropecuários”, referiu Roberto Carneiro.

A comitiva do ministro angolano da Agricultura e Florestas, integrada pelo governador da província do Moxico, Gonçalves Muandumba, a vice-governadora da Lunda-Norte, Deolinda Vilarinho, consultores e empresários angolanos iniciou a sua missão em São Paulo e terminou em Brasília com uma reunião com empresários do sector do agronegócio.

Últimas Notícias