Presidente da República informado sobre eleições no Zimbabwe

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional do Zimbabwe, Subusiso Moyo, revelou esta Segunda-feira(18), em Luanda, que a situação política no seu país é estavél, estando já em curso a recolha de dados biométricos dos cidadãos com capacidade eleitoral.

POR: Norberto Sateco

O Presidente da República, João Lourenço, abordou, na manhã desta Segunda-feira (18), com o ministro dos Negócios Estrangeiro e Cooperação Internacional do Zimbabwe, Subusiso Moyo, a evolução política e a realização das eleições naquele país da SADC. À saída da audiência, o diplomata zimbabweano informou à imprensa que “o evoluir da situação política no seu país é satisfatório e que as eleições vão decorrer, em princípio, no primeiro trimestre do próximo ano”.

“O processo que levará o país às eleições já estamos a preparar. Trata-se de eleições harmonizadas, e este ano estamos a trabalhar para a introdução do sistema biométrico” informou Moyo. Nesta altura, declarou o diplomata, já está em curso a introdução dos dados biométricos para o registo eleitoral da população.

Por esta razão, Angola, na qualidade de presidente do Órgão de Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), Subusiso Moyo entregou ao Chefe de Estadista angolano uma mensagem do homólogo Emmerson Mnangangwa, a convidá-lo a visitar aquele país.

A três de Novembro deste ano, militares cercaram a residência do ex-Presidente da República do Zimbabwe, Robert Mugabe, tomaram de assalto as instituições públicas, detiveram personalidades influentes da política e sitiaram a cidade capital, Harare, o que deteriorou a situação política e militar no referido país. Acto seguinte, Robert Mugabe renunciou ao mandato presidencial em carta dirigida ao Parlamento. Dias depois, Emmerson Mnangangwa foi empossado Presidente do Zimbabwé para um período de transição.

Relançamento e cooperação

A cooperação entre os dois países data de há muitos anos, embora esteja parcialmente estagnada de algum tempo a esta parte. Os chefes das diplomacias de Angola e do Zimbabwe demonstraram interesse no reforço dessas relações de cooperação. “Os zimbabwanos deram garantias de continuar a desenvolver o seu papel de estabilidade e desenvolvimento da SADC”, considerou o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto. Por seu turno, oseu homólogo zimbabweano classificou de inessencial o alargamento das relações, apesar da indefinição das áreas concretas para uma primeira fase. Entretanto, Angola e Zimbabwé mantêm cooperação nos sectores da agricultura, turismo, transportes e formação de quadros.

O antigo Presidente nigeriano também esteve na cidade Alta

Durante a audiência que o Presidente João Lourenço concedeu a Olossengo Obansajo, dentre varios assuntos, dominou a questão do petróleo e sua depreciação no mercado internacional. Na ocasião, Obasanjo aproveitou a felecitar o Estadista angolano pela estabilidade política prevalecente no país e pela transição política pacífica, tendo considerado um exemplo a seguir no continente africano. “Analisamos a questão da redução do preço do barril de petrolio no mercado internacional”, disse, depois, aos jornalistas.