loader

Obras de impacto social já consumiram mais de 95 mil milhões de Kwanzas este ano

O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, que falava à margem da tradicional cerimónia de cumprimentos de fim-de- ano, decorrida no anfiteatro da Universidade Mandume Ya Ndemofayo, fez saber que este valor foi empregue na construção de escolas, hospitais, abertura de furos de água e outros bens públicos.

POR: João Katombela, na Huíla

“Apesar das limitações financeiras vividas, um breve balanço quanto à execução de Programas Públicos, pelo Governo local neste período, impõe- se para tal destacar no domínio da educação a construção de 11 escolas nos municípios da Chibia, Caluquembe, Cacula, Cuvango, Matala e Lubango, perfazendo 49 salas que beneficiaram um total de aproximadamente 400 mil alunos. No respeitante ao sector da saúde, Marcelino Tyipinge explicou que ao nível dos 14 municípios que compõem a província da Huíla, foram construídos 27 centros municipais de referência e 37 postos médicos, bem como adquiridos diversos equipamentos hospitalares e meios rolantes com destaque para as ambulâncias.

O governador provincial da Huíla revelou que este ano foram concluídas as obras de reabilitação hidráulica e electro-mecânica do campo de captação da nossa senhora do Monte e as obras de construção da nova estação de captação de água para a cidade do Lubango. Segundo João Marcelino Typinge, durante o ano que termina, o seu Governo procedeu à instalação de 60,37 quilómetros de rede de distribuição e 4.80 ligações domiciliares nalguns bairros.

Disse ainda estarem em curso a instalação de 140 quilómetros de conduta de água e 20 mil ligações ao domicílio na cidade do Lubango, concretamente nos bairros Comandante Dack-Doy, Patrice Lumumba, 14 de Abril e parte dos bairros da Mapunda, Dr. António Agostinho Neto, Comandante Cowboy, Comandante Nzagi e a Luta Continua. Para 2018, Tyipinge preconiza para a província que dirige, um desenvolvimento territorial que coloque em evidencia o posicionamento geoestratégico da Huíla.

Para efeito, segundo disse, torna- se necessário apostar na criação de uma plataforma logística, suportada por um terminal ferroviário de ligação entre as províncias do Namibe, Cunene, Benguela, Huambo e Cuando- Cubango. Typinge anunciou como opções estratégicas assumir- se como província produtora de excedentes agrícolas, nomeadamente cereais, leguminosas, hortofrutícolas e pecuários; reactivar o complexo mineiro da Jamba e Tchamutete e promover as rochas ornamentais. Vai ainda desenvolver uma base industrial de transformação de produtos agro-pecuários e de abastecimento dos mercados das províncias do Sul, em particular, equipamentos e utensílios agrícolas, com base em três pólos industriais e desenvolver nos municípios do Lubango, da Matala e da Jamba, articulados com uma rede de zonas industriais de nível municipal.

Reacção da Oposição

Entretanto, para os partidos da Oposição, essas e outras acções só serão visíveis se se reflectirem na qualidade de vida dos cidadãos de toda a província e do país em geral. Félix Kuenda, secretário provincial adjunto da UNITA, disse que é preciso que os governantes saiam da teoria para a prática, a fim de que as suas acções sejam de facto visíveis. “Nós somos da visão de que o Governo actual deveria sair da teoria para a prática, já há muito tempo que viemos a acompanhar discursos coloridos, discursos com pompa e circunstância, mas na prática não conseguimos constatar absolutamente nada.

Portanto, é olharmos para a nossa cidade, para a nossa província, para ver que os problemas são enormes, desde problemas de saúde, educação, falta de saneamento básico e muito mais! É necessário que neste mandato o Governo Provincial da Huíla dê um passo rumo ao desenvolvimento da nossa província” disse. Para o secretário executivo provincial da CASA-CE, Serafim Simeão, os discursos são todos bonitos, mas o político prefere aguardar para ver na prática. “De facto, são bons discursos, com boas intenções, mas há um ditado que diz, “ver para crer” , exteriorizou.

Últimas Notícias