loader

Acontecimentos culturais mais marcantes em 2017

O PAÍS traz hoje em retrospectiva os principais acontecimentos e manifestações artísticas que marcaram, em 2017, em Angola e no estrangeiro

Por: Antónia Gonçalo e Jorge Fernandes

A Academia Angolana de Letras (AAL) assinalou o primeiro aniversário da sua constituição, no dia 17 de Setembro, com a admissão de três novos membros efectivos: Filipe Zau, Fátima Viegas e Albino Carlos.

Restauro

Foi anunciado este ano, a reabilitação e apetrechamento da Fortaleza de São Francisco de Penedo, conhecida genericamente por Casa de Reclusão. Está situada no Porto de Luanda. Após à conclusão das obras, a mesma será entregue à Direcção Nacional dos Museus (DNM). No mesmo edifício funcionará também a sede nacional da Associação do Processo dos 50.

Prémio Sagrada Esperança

O escritor angolano Alberto Oliveira Pinto foi o grande vencedor do Prémio Sagra- da Esperança, Edição 2017, com a obra “Imaginários da História Cultural de Angola”. Recebeu como prémio um milhão e 500 mil Kwanzas.

Prémio António Jacinto

Com a obra “Rosa de Fogo-Erótica Africana e Evangelho”, Ibinda Kayambu, pseudónimo literário de Hélder Silvestre Simba André, sagrou-se o vencedor do Prémio Literário António Jacinto 2017. Este concurso visa homenagear o poeta António Jacinto do Amaral Martins, uma das maiores figuras das Letras e da Cultura Nacional.

Nsoki

A cantora conquistou oito troféus em concursos internacionais, tendo sido distinguida como Artista Revelação, Melhor Artista da África Central. Nsoki concorreu igualmente na categoria de Melhor Artista Feminina Lusófona.

Trienal de Luanda

Com sede no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda, a III Trienal de Luanda desenvolveu e dinamizou várias actividades culturais ao longo do ano, com destaque para II edição do Festival Zwá “Pura Música Mangop”, a I edição do Festival de Música Ancestral, Ciclo de Cinema Angolano, Mostra de Poesia Angolana, Festival de Teatro Angolano e tantos outros.

Dança

Foram lançadas as bases para criação da Associação Angolana de Dança, que está a ser levada a cabo pe- lo Movimento de Revitalização da Dança em Angola, coordenada pelo exbailarino Maneco Vieira Dias.

Troncos da Literatura

Foi apresentado o projecto Troncos da Literatura Angolana(TLA) que visa lançar no mercado nacional e internacional uma colecção de obras inéditas de autores angolanos, que têm contribuído para modernização do mosaico literário nacional.

Monumento aos reis do Ndongo

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, garan- tiu que consta no plano de governação do Executivo para o quinquénio (2017-2022), a construção do monumento no Reino do Ndongo em homenagem à Rainha Njinga A Mbande, no âmbito do programa de divulgação e promoção das figuras históricas nacio- nais.

Património

A Comissão de Património Mundial da UNESCO decla- rou, em Cracóvia, na Polónia, no dia 8 de Julho, por unanimidade, o centro histórico da cidade de Mbanza Kongo, como Património Mundial da Humanidade. O projecto “Mbanza Kongo, cidade a desenterrar para preservar”, que tinha como principal propósito a inscrição desta capital do antigo Reino do Kongo, fundado no século XIII, na lista do património da UNESCO, foi oficialmente lançado em 2007.

Prémio Nacional de Cultura e Artes

A 17ª edição do Prémio Nacional de Cultura e Artes teve como ven- cedores o escritor António Fonseca, o músico Carlos Lamartine, o grupo teatral Protevida, nas categorias de literatura, música e na modalidade de teatro. O artista plástico Horácio Da Mesquita, o realizador Abel Couto, o historiador Emanuel Esteves, a Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDCA) e a jornalista Maria Luísa Fançony foram distinguidos nas categoria de artes visuais e plásticas, cinema e audiovisuais, investigação e ciências humanas e social, dança e jornalismo cultural.

Carnaval

O grupo “União Mundo da Ilha” venceu o carnaval deste ano, em Luanda, tendo arrebatado o prémio de 3 milhões de Kwanzas. Em segundo lugar ficou o “União Recreativo Kilamba”, que recebeu o valor de 2 milhões de Kwanzas, e o terceiro “União 54”, com um milhão e 200 mil Kwanzas.

Álbuns

A cantora Nazarina Semedo apresentou a sua 2ª obra, “Sem Igual”, na Praça da Independência. A obra, com nove músicas, a artista canta maioritariamente Kizomba e Semba, trazendo mensagens de amor e coisas sociais. A cantora Telma Lee realizou a venda e sessão de autógrafos do seu primeiro álbum de originais “Tatuagem”, seguida de um show de apresentação da referida obra no Cine Atlântico.

Os músicos Cage One e Cef apresentam na Praça da Indepen- dência, as obras “Mais do Que um Rapper” e “Cartel d’ Amor”, com ritmos e géneros diversos, muito apreciados pela juventude, e composições para todas as faixas etárias. O “País que venero” é o título da nova obra discografia do músico Euclides Barros da Lomba, lançada no dia 11 de Novembro, na Praça da Independência. Tem dez faixas musicais interpretadas em vários ritmos latinos, com destaque para o rumba.

O conhecido kudurista, Nagrelha realizou também na Praça de Independência a venda e sessão de autógrafos da sua primeira obra discográfica a solo intitulada “Arquitecto da Paz”, em homenagem ao ex- Presidente República José Eduardo dos Santos. O sexto CD do projecto Pikante do Dj Dias Rodrigues foi apresentado na Praça da Independência e na loja Made in Angola na centralidade do Kilamba.

Artes Plásticas

O artista António Ole celebrou os 50 anos de trabalho com a exposição “50 anos vivendo, realizando” no Camões/Centro Cultural Português (CCCP). A amostra comportou 27 peças de pintura, acrílico sobre tela, pigmentos sobre tela e colagem e uma instalação com desenhos em caixa de luz.

C4 Pedro

Depois do sucesso que foi a comemoração dos seus 10 anos de carreira, C4 Pedro recebeu, em Outubro, os prémios de Melhor Artista da África Central, Melhor Artista da Lusofonia e Melhor Artista Além-Fronteiras no AFRIMMA (África Magazine Music Awards), trazendo para casa três troféus.
Gale- ria Guilherme Mampuya O Atelier do artista plástico Guilherme Mampuya assinalou no dia 9 de Dezembro o primeiro aniversa- rio, com a inauguração de uma exposição colectiva de artes plásticas intitulada “Exótica”.

5ª edição Prémios dos AMA

A obra discográfica intitulada “Bolo de aniversário” de Paulo Flores conquistou o prémio na categoria de Álbum do Ano na Gala de premiação Angola Music Awards (AMA), realizado em Julho, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, em Luanda. Edmázia Mayembe foi vencedora em três categorias: Melhor World Music, Artista Feminino e Melhor Kizomba com a música intitulada “Alma nua” (Acústica). O grupo Força Suprema conquistou igual número de prémios nas categorias de Grupo By Wammo, Música Mais Popular do Ano e Melhor Rap Hip Hop com a música “Serias tu”. A cantora do sucesso “Papa Fugiu”, Ary que interpreta com o músico Baló Januário arrebatou dois prémios nas categorias Melhor Música Tradicional e Melhor Artista em Palco (By Delta Q). Os artistas Eduardo Paim e C4 Pedro foram os músicos homenageados pelo percurso musical, sucessos nacionais e internacionais e prémios conquistados em prol da música angolana.

CIT

A 2ª edição d o Circuito Internacional de Teatro (CIT) realizado de Julho a Setembro homenageou o dramaturgo José Mena Abrantes pelo contributo durante 50 anos em prol desenvolvimento das artes cénicas no país. Nesta edição participaram 50 grupos, sendo 40 nacionais e 10 estrangeiros.

FESTECA

A 12ª edição do Festival Internacional de Teatro do Cazenga (FESTECA) realizada em Julho, sob o lema “Juventude, Arte e Cidadania, o fu- t u r o nas nossas mãos” contou com a participação de mais de 40 grupos teatrais. O Grupo de teatro “Etu Lene” foi o homenageado, por ser um dos grupos impulsionadores e percursores do teatro nacional.

Últimas Notícias