Lunda-Norte acolhe acto central do Dia da Cultura Nacional

A cidade do Dundo, capital da província da Lunda-Norte, vai acolher o acto central das comemorações do Dia da Cultura Nacional, a assinalar-se na próxima Segunda-feira,8 de Janeiro.

POR: Antónia Gonçalo

Sob o lema “Pela preservação da nossa identidade cultural comemoremos o Dia da Cultura Nacional”, o acto realizar- se-á no Campo de Ténis do Grupo Desportivo Sagrada Esperança da Lunda-Norte, e será presidido pela ministra da Cultura, Carolina Cerqueira. Segundo o programa de actividades a que O PAÍS teve acesso, para a comemoração condigna da data, realizar-se-ão várias actividades, tais como uma feira de artes, lançamento de obras literárias e declamação de poesia.

Exibição de cinema de produção nacional, de peças teatrais, exposições fotográficas, dança e visitas a locais de interesse histórico- cultural, realização de palestras e seminários, constituem outros atractivos do programa. Na Lunda Norte, segundo apurou este jornal, as actividades tiveram início na Quarta-feira, 3, com a realização de um debate radiofónico sobre o impacto da Cultura e o papel activo para o desenvolvimento local.

Linhas orientadoras para 2018

A ministra da Cultura garantiu nesta Quinta-feira, 4, no Museu de História Natural, em Luanda, na cerimónia de cumprimentos de Ano Novo, que juntou os trabalhadores do sector que dirige e agentes culturais, que vai anunciar as linhas orientadoras para este ano, na Lunda- Norte. “Darei orientações precisas sobre o que se deve desenvolver, desde o direito de autores e conexos, preservação e valorização do nosso património, a simbiose que existe entre o património e o ambiente, educação e o turismo”, apontou. A ministra lembrou que o papel do ministério é de “servir de elo e de instrumento” para sensibilizar e chamar a atenção de outras instituições para a necessidade de se valorizar o artista e as artes.

Reconhecimento de Mbanza Congo

Durante o encontro, a responsável apontou o reconhecimento do Centro Histórico de Mbanza Congo como Património Mundial da Humanidade como a vitória mais importante que o país conheceu nos últimos anos do ponto de vista cultural. “Significa que o país tem um compromisso com o mundo e tem que se repercutir na forma como vamos transformar Mbanza Congo, num alvo, no centro, na medida em que vai também beneficiar os países vizinhos, da região africana e do mundo”, disse. Avançou que o ministério tem um vasto programa para a valorização e diversificação das industriais culturais e criativas em Mbanza Congo.

Realçou igualmente a valorização e dignificação das figuras históricas como prioridade do Ministério da Cultura. Para a concretização deste desiderato, referiu a necessidade de se trabalhar com o Ministério da Educação para que nos manuais escolares constem os nomes dos reis, rainha e combatentes que lutaram para a independência do país. A ministra reforçou que o ministério vai trabalhar também para que as Línguas Nacionais tenham um papel digno a nível da cultura angolana, bem como o resgate das nossas línguas e a sua preservação por parte da juventude.