loader

CIA M ajudar na redução da segunda maior causa de morte

O ciclo já abarcou os municípios de Viana, Cazenga e Belas, onde foram abordados o tema “A importância do Cumprimento Escrupuloso do Regulamento sobre a Sinalização de Trânsito”.

O Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM) sensibiliza, na Quarta-feira, 17, cidadãos de Talatona sobre a sinalização rodoviária como método de prevenção de acidentes, com o auxílio de profissionais da Direcção Nacional de Viação e Trânsito (DNVT) e do Instituto de Estradas de Angola (INEA). A actividade enquadra-se no ciclo de palestras sobre a sinistralidade rodoviária que está a ser promovida por esta instituição pública, desde Dezembro último, com o intuito de contribuir para a redução da alta taxa de acidentes nas estradas. De salientar que, dados oficiais apontam a sinistralidade rodoviária como a segunda causa da mortalidade em Angola, atrás da malária, ao engrossar a cifra com uma media sete mortes e 29 feridos por dia.

O director geral do CIAM, António Mascarenhas, disse, a OPAÍS, que a mesma está a ser realizada com o propósito de buscar um maior envolvimento da classe no “processo de sensibilização da sociedade e aproveitar a grande capacidade da imprensa de mobilizar, persuadir e influenciar os cidadãos na mudança de mentalidade”. Explicou que a primeira palestra realizou-se com os jornalistas sob o tema “Papel da Comunicação Social no Combate à Sinistralidade Rodoviária”. Por outro lado, António Mascarenhas anunciou que está agendada para o próximo dia 24 a apresentação do balanço desta primeira fase de palestras, no auditório Aníbal de Melo, no CIAM.

O ciclo já abarcou os municípios de Viana e Cazenga e, de igual modo, a Centralidade do Kilamba, em Belas, tendo abordado o tema “A importância do Cumprimento Escrupuloso do Regulamento sobre a Sinalização de Transito”. Na ocasião, foram preletores Angeliano Sarrote e Fernando Bonito, director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da (DNVT) e director Geral Adjunto do (INEA), respectivamente. De salientar que a sinistralidade rodoviária é a segunda principal mortalidade em Angola, atrás da malária, ao engrossar a cifra com uma media sete mortes e 29 feridos por dia. Segundo a fonte, o excesso de velocidade é a principal causa com 47%, seguida da falta de precaução 10% e condução sob efeito de álcool 4%, enquanto os atropelamentos lideram em termos de tipologia de acidentes.

Últimas Notícias