loader

UNITA lamenta situação dos antigos combatentes

Ogrupo parlamentar da UNITA , numa nota de imprensa, referiu que os antigos combatentes já registados e inseridos no sistema auferem uma pensão miserável de 21 mil kwanzas, o que considera que não corresponde ao sacrifício consentido, muito menos consegue responder ao elevado custo de vida em Angola.

A nota refere que, ao comemorar mais um dia dedicado aos antigos combatentes, o grupo parlamentar da UNITA aponta com bastante preocupação que a situação por que passam os antigos combatentes está ainda longe da dignidade merecida, porque a maior parte deles ainda continua a não usufruto dos seus direitos, assim como os seus dependentes, viúvas e órfãos, muitos deles rejeitados e não reconhecidos pelo Estado angolano.

Estes valiosos filhos de Angola, avança a nota, merecem uma maior atenção do Estado Angolano, pois ,sem eles, Angola não seria o que hoje é. Por isso, o grupo parlamentar da UNITA reitera o seu compromisso em tudo fazer para ajudar a encontrar as melhores soluções dos problemas que afligem os antigos combatentes e seus dependentes.

O dia 15 de Janeiro passou a ser, desde 2011, assinalado em Angola como o dia do Antigo Combatente, para honrar todos os que deram o melhor de si nas várias frentes de luta do povo angolano, visando a sua afirmação como povo livre, independente e reconciliado.

Por ocasião da data, o grupo parlamentar da UNITA juntou a sua voz à de todos os que auguram ver dignificada essa valiosa classe de filhos de Angola, os antigos combatentes, em benefício dos quais a Assembleia Nacional decidiu, em 2011, outorgar esta data, em que se fizesse uma reflexão à volta do seu papel desempenhado e lhes fosse garantida uma vida digna.

O grupo parlamentar da UNITA saúda e deixa uma palavra de esperança em dias melhores para todos os que auguram uma Angola digna, democrática e verdadeiramente reconciliada, alude a nota.

Últimas Notícias