isaías samakuva prepara Rafael Savimbi para seu sucessor

Após receber o voto de confiança dos membros da Comissão Política do Comité Permanente (CPCP) para continuar na liderança da UNiTA até 2019, altura em que cessa o seu mandato, isaías Samakuva já prepara o seu sucessor

Por: Ireneu Mujoco

Trata-se do filho do líder fundador desta força política, Jonas Savimbi, falecido em combate a 22 de Fevereiro de 2002, no Moxico. Para a indicação do seu sucessor, Samakuva conta com o apoio de influentes membros da CPCP. Entre os membros da Comissão Política do Comité Permanente, órgão decisório do partido, constam Ernesto Mulato, Isaías Chitombi, Alcides Sakala, Demóstenes Chilingulita, Franco Marcolino, José Chiwale, Manuel Savihemba, Jaka Jamba, Alice Bonguela, Miraldina Jamba e outros.

Para além destes, Isaías Samakuva, que dirige o partido desde 2003, eleito num congresso extraordinário, conta também com o apoio dos secretariados provinciais, dirigidos maioritariamente por jovens políticos. A indicação do filho de Savimbi, segundo as nossas fontes, citando o actual líder da UNITA, deve-se ao facto de notar-se nele características de dirigismo e dinamismo semelhantes às do seu falecido pai.

As mesmas fontes avançaram que a indicação de Rafael Massanga Sakaita, licenciado em Direito, coincide com a intenção por si próprio manifestada de concorrer à liderança do partido. Aliás, em privado e em público, este jovem político nascido em Angola, mas educado no Togo, nunca escondeu o desejo de vir a tornar-se o presidente desta força política fundada em 1966, no Moxico, coincidentemente onde viria a falecer o seu pai.

A primeira projecção para a longa caminhada que se pretende foi a indicação por Samakuva para secretário para a Mobilização Urbana, tendo depois passado a secretário-geral adjunto do partido. Acto contínuo, embora a indicação dos nomes para a lista de deputados da UNITA à Assembleia Nacional, nas últimas eleições, passasse por um crivo, segundo apurou este jornal, o de Massanga esteve em lugare elegível.

As saídas constantes para o interior com o actual líder, em que muitas vezes é-lhe dada a oportunidade de tecer, ou mesmo discursar junto das massas, faz parte já da estratégia do seu lançamento para a liderança do partido. Liberty chiyaka de fora O actual secretário provincial da UNITA no Huambo, que era ventilado também no seio da própria da UNITA como um provável substituto de Samakuva, vê assim a sua pretensão votada ao insucesso.

Embora nunca tenha assumido concorrer à liderança do partido, Liberty Chiyaka, 43 anos, é um dos jovens políticos da UNITA que cedo aprendeu a “nadar” ao lado de Samakuva. É tido, entre os políticos da nova vaga, como sendo um jovem promissor no seio do partido do “galo negro”, pelo trabalho que vem desenvolvendo na província do Huambo.

outros candidatos Após ter servido o partido como secretário-geral, de 2008 a 2012, o político e ex-deputado Abílio Camalata Numa já anunciou candidatar-se também no próximo congresso à liderança da UNITA. É o único dirigente desta força política que anseia (assumidamente) também dirigir a UNITA nos próximos tempos. Quanto ao resto, pouco ou nada transpira. Aliás, parece ser cedo demais, numa altura em que ainda muito tempo falta para o próximo conclave.