loader

PRS E UNITA ‘trocammimos’ no Huambo

Os renovadores sociais queixam-se de estarem a ser alvo de difamação, enquanto o ‘Galo Negro’ minimiza tais informações.

POR: Norberto Sateco

A estrondosa derrota da Oposição nas eleições de 23 de Agosto último, na província do Huambo, continua a ser motivo para alegadas “crispações políticas” entre o Partido de Renovação Social e a UNITA. Uma fonte bem colocada no seio dos renovadores sociais revelou a OPAÍS a existência de uma “onda de difamação” contra aquele partido político, alegadamente perpetrada por militantes da UNITA naquela região, desde o período eleitoral.

A fonte afecta à formação de Benedito Daniel acrescentou que fazem parte dessas “calúnias” uma suposta venda de votos durante o período eleitoral ao partido dos “camaradas” a troco de protagonismo político. “Não se compreende como é que partidos da Oposição fazem mais contra a Oposição. Nós sabemos que a UNITA andou nas nossas principais praças políticas a falar mal de nós. Disseram às pessoas que nós somos satélites do MPLA e que estávamos a enganar o povo”, sublinhou a fonte, para quem esta postura acabou por prejudicar a popularidade da sua formação política em algumas das suas bases tidas como favoritas, designadamente nas localidades de Catchiungo e Chicala Cholohanga.

Já o secretário provincial do PRS no Huambo, António Solia, contactado, escusou-se a entrar em detalhes. Afirmou apenas ser provavelmente uma estratégia adoptada pela UNITA visando a conquista de maior popularidade e de deputados no círculo provincial na quarta maior praça política do país. Apesar disso, o político fez questão de classificar as relações entre os dirigentes dos dois partidos como sendo excelentes, tendo recomendado mais coesão entre as forças políticas na Oposição neste novo ciclo político que o país está a trilhar.

Já o secretário provincial da UNITA no Huambo, Liberty Chiyaka, desvalorizou tais acusações, argumentando não existir lógica. Contactado aquando dos encontros do seu partido realizados em Luanda, o político afirmou que “a UNITA não tem razões para isto. Não pode ser verdade”. A UNITA, o maior partido da Oposição em Angola, conquistou no último escrutínio, naquele círculo provincial, dois deputados, enquanto o PRS ficou sem eleger qualquer deputado.

Últimas Notícias