loader

Pyongyang faz desfile militar na véspera dos Jogos Olímpicos

A Coreia do Norte celebrou uma parada militar em Pyongyang, esta Quinta-feira (8), uma demonstração de força na véspera da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno na cidade sul-coreana de Pyeongchang. Diante de uma multidão empolgada reunida na praça Kim Il-sung para o desfile, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, declarou: “Nós somos capazes de mostrar ao mundo a nossa estatura de potência militar de classe mundial”.

O hermético país aproveitou a grande projecção mediática dos jogos de Pyeongchang, enviando para a Coreia do Sul um grupo de artistas, centenas de animadoras de claque, desportistas e até a irmã de Kim Jong-un. Ao contrário do último desfile militar de Abril de 2017, a televisão oficial norte-coreana não transmitiu o acontecimento ao vivo. “Tivemos conhecimento de que o Norte realizou um desfile militar na praça Kim Il-sung em Pyongyang”, disse à AFP uma fonte do governo sul-coreano. Nas imagens divulgadas por Pyongyang, viam-se camiões cheios de soldados que se afastavam do centro da cidade, depois de terem participado no desfile.

Atrás deles, seguiam tanques e outros veículos. No mês passado, a Coreia do Norte anunciou que este ano celebraria o 70º aniversário do seu Exército em 8 de Fevereiro, ao invés de 25 de Abril. A notícia surpreendeu as capitais estrangeiras, após a mudança diplomática empreendida pelo regime norte-coreano, que aproveitou os Jogos para estender a mão ao vizinho do Sul. Segundo os analistas, com a sua nova estratégia, a Coreia do Norte pretende normalizar o seu status de “Estado nuclear de facto”. Para os especialistas ouvidos pela AFP, o país asiático busca, talvez, obter uma redução das sanções internacionais contra o seu regime e criar uma divisão na relação entre os aliados sulcoreano e americano.

O Conselho de Segurança da ONU impôs múltiplas sanções a Pyongyang, devido aos seus programas nuclear e balístico. No ano passado, a Coreia do Norte disparou mísseis balísticos intercontinentais capazes de alcançar o território continental dos Estados Unidos e lançou um sexto teste nuclear – o mais potente até agora. ‘O Norte não implora’ Normalmente, os desfiles militares norte-coreanos reúnem milhares de soldados que desfilam junto de centenas de veículos blindados. Nada disso foi detectado nas imagens por satélite dos testes do cortejo, segundo o site americano 38 North. Para esses eventos, Pyongyang também costuma convidar vários jornalistas estrangeiros, o

Últimas Notícias