loader

Combate à corrupção e transparência vão permitir o regresso dos dólares

As medidas a serem implementadas pelo Governo angolano, como o combate à corrupção, serão necessárias para que os bancos americanos voltem a permitir aos angolanos o acesso aos dólares

A informação foi avançada Sextafeira, 16, pela embaixadora americana em Angola, Nina Fite, após apresentar as suas cartas credenciais ao Presidente da República, João Lourenço, no Palácio da Cidade Alta.

De acordo com a diplomata, o Governo americano estimula o compromisso do Presidente angolano no combate à corrupção, acrescentando que um combate bem-sucedido e maior transparência permitirão a vinda de maiores investimentos estrangeiros ao sector privado em Angola. Referindo-se à abertura dos bancos americanos para o envio de dólares a Angola, explicou que o sector bancário americano é privado, e as medidas a serem implementadas pelo Governo angolano, como o combate à corrupção e a luta pela transparência serão necessárias para que os bancos americanos voltem a permitir o acesso aos dólares.

“Queremos que chegue o dia em que o clima de negócios em Angola permita o regresso dos bancos americanos”, disse a nova diplomata dos Estados Unidos da América (EUA) em Angola. Segundo Nine Fite, “mais do que nunca”, agora o Governo dos EUA está pronto para trabalhar com Executivo angolano, “no sentido de assegurar laços bilaterais mais fortes entre os nossos países e prosperidade partilhada para todos os angolanos e norte-americanos”.

Assegurou, por outro lado, que as relações bilaterais entre ambos os países continuam fortes, referindo que a América quer continuar a colaborar com o Governo angolano para fortalecer as relações, principalmente nas áreas de Saúde, Comércio e de Segurança regional. Apontou Angola como sendo um parceiro estratégico na região austral de África e que desempenha um papel importante na segurança regional. Este ano celebra-se o 25º aniversário das relações bilaterais entre os EUA e Angola.

De acordo com a diplomata, nos últimos tempos testemunhou-se o alargamento da relação numa perspectiva de assistência ao desenvolvimento do comércio e investimento dos Estados Unidos. “Espero que continue esta parceria activa durante o meu mandato, ajudando Angola a melhorar o seu clima de negócios para incentivar mais investimento e comércio bilaterais”, garantiu.

Disse ainda haver pretensão do seu Governo de criar mais oportunidades para o intercâmbio cultural e educacional entre ambos os países. Diplomata de carreira, Nina Fite foi nomeada embaixadora dos Estados Unidos da América na República de Angola a 20 de Novembro do ano passado. Ela já trabalhou em Angola durante 10 anos, tendo exercido a função de chefe da secção política e económica na embaixada americana em Luanda. PDC

Últimas Notícias