loader

Editorial: JL e os empresários elitistas

João Lourenço vai a Benguela, vai trabalhar. E faz o Senhor Presidente muito bem. Há por lá muitos problemas, sobretudo para os jovens, que não conseguem empregos, ficam sem escola, apesar de a província ser beneficiária há anos de boas maquias do Orçamento Geral do Estado e ter um porto, um caminho de ferro, de estar ligada à capital do país por uma estrada e ter uma classe empresarial acutilante, mas restrita. Aliás, o maior problema de Benguela, é preciso assumir, pode estar justamente na sua classe empresarial, mais ocupada em ser rica do que a criar e a distribuir riqueza, mais agarrada a um pretenso elitismo do que a abrir-se para o que deveria ser o seu verdadeiro papel social. E mais empenhada a tombar governadores do que a ser progressista. É preciso que o Presidente, se quiser desenvolver o país, quebre as muralhas em que se barricadaram as elites económicas menos produtivas do país e democratise a economia. Sem isso, o melhor é esquecer.

Últimas Notícias