loader

Kwanza continua a perder valor e BNA vende mais euros

O sétimo leilão de divisas deste ano confirmou a tendência para a depreciação da moeda nacional em mais de 0,8% em cada sessão realizada, com o kwanza a recuar face ao euro, desde 9 de Janeiro, cerca de 29%. Por outro lado, aumentou substancialmente o montante das divisas vendidas, o qual se fixou em EUR 200 milhões

Por: Luís Faria

A moeda nacional voltou a perder valor no leilão de divisas efectuado pelo Banco Nacional de Angola (BNA) esta semana, atingindo agora a sua depreciação face ao euro cerca de 29%, com base nas contas realizadas por OPAÍS tendo como referência a taxa de câmbio média face à moeda europeia, a nova âncora da política cambial, apurada no mercado primário no mês de Dezembro.

A taxa de referência do kwanza face ao euro, após o leilão de divisas desta semana, é de Kz 262,306 por cada unidade da moeda europeia, o que corresponde, segundo o BNA, a uma depreciação de 0,822% face à apurada na semana anterior. Contribuíram, refere a nota da entidade reguladora da banca respeitante à venda de divisas, para o apuramento da taxa de câmbio de referência 22 dos 27 bancos participantes no leilão realizado, tendo a taxa mais alta sido de Kz 264,070 por Euro e a mais baixa de Kz 260,817 por Euro.

Já face ao dólar a depreciação do kwanza chegou a 1,7% na sessão desta semana, fixando-se em Kz 212,7 por cada unidade da moeda norte-americana, o que traduz uma depreciação de cerca de 22% do kwanza face ao dólar desde o início do ano. Este é o sétimo leilão de divisas realizado este ano e desde que foi introduzido um novo regime cambial que inclui uma banda de flutuação para a moeda nacional com o limite de 2% face à taxa de câmbio de referência apurada na última sessão de venda de moeda estrangeira.

Após os dois leilões iniciais o kwanza vem desvalorizando a um ritmo que se acerca de um por cento em cada leilão, com excepção da primeira sessão realizada este mês de Fevereiro, quando, ao contrário do que é habitual há mais de um ano, foram transaccionados dólares e não euros.

De referir ainda que, com estas sucessivas depreciações o BNA procura estreitar a diferença entre o mercado de câmbio oficial e o mercado informal de rua e aliviar a pressão sobre a moeda nacional. Ontem, neste mercado paralelo, cada euro era vendido, em média, a Kz 535 e cada dólar a USD 440, o que traduz, mesmo assim, uma perda de valor da moeda nacional face à semana anterior, em que a unidade da moeda norte-americana estava a ser vendida a Kz 430.

Mais divisas

Neste sétimo leilão do ano foi batido o recorde de venda de divisas pelo banco central aos bancos comerciais.

O BNA colocou no mercado primário EUR 200 milhões com as seguintes finalidades: aquisição no exterior de ‘matéria-prima, peças, acessórios e equipamentos (60% do montante vendido), assegurar as necessidades das ‘pequenas e médias empresas’ (25%) e realização de ‘operações privadas’, não especificadas, (15%).

Ao cabo da realização de três leilões, o BNA já vendeu em Fevereiro mais divisas à banca no mercado primário (EUR 439,3 milhões) que no conjunto do mês de Janeiro, em que nos quatro leilões realizados após o dia 9 (quando foi introduzido o novo regime cambial) colocou no mercado EUR 442,2 milhões.

Este último leilão aumenta também substancialmente o montante dos euros vendidos em relação à sessão anterior, realizada a 14 de Fevereiro, quando haviam sido colocados no mercado EUR 55 milhões, o valor mais baixo deste ano.

Em Janeiro de 2017 o banco central colocou no mercado primário, em regime de venda directa, EUR 1.606,6 milhões e em Fevereiro de 2017 vendeu à banca comercial EUR 999,6 milhões.

Últimas Notícias