Editorial: Ainda bem que não é nosso

Nos Estados Unidos da América continua o debate sobre o porte de armas, melhor, sobre a liberdade de se ter e de se vender armas de fogo. Os negociantes de armas são um grupo poderoso, aliás, fizeram campanha para a eleição do actual Presidente do país, Donald Trump, que, felizmente, é Presidente apenas dos Estados Unidos da América. É que ele defende a proliferação das armas na sociedade americana. Esta semana, depois de mais um massacre numa escola, afirmou que a solução passa por os professores terem armas. irem trabalhar armados. Ele pensa que numa escola com professores armados nenhum “doente mental” lá irá matar indiscriminadamente quem lhe aparecer à frente, como, infelizmente, já muitas vezes aconteceu. Felizmente os presidentes não se replicam, porque ninguém garante que um dia um professor não pegue numa arma e massacre os seus alunos.