loader

MAAN coloca desdobrável com programação cultural em lugares públicos

A programação com enfoque na valorização das várias manifestações, expressões culturais e artísticas, marca a estreia do projecto literário “Textualidades”, em que os autores falam das suas obras com os seus leitores e expõem os seus livros

Por: Augusto Nunes

Cultura, cidadania e lazer são três palavras-chave que vão orientar a Programação Cultural do MAAN (Memorial Dr. António Agostinho Neto), no primeiro semestre deste ano, segundo informou a OPAÍS, Jomo Fortunato, Presidente do Conselho de Administração da referida instituição.

O responsável adiantou que este ano, além das clássicas exposições, está prevista a realização de palestras, incidindo em aspectos da “Vida e Obra de Agostinho Neto e Seus Correligionários”.

A agenda inclui ainda a inauguração do projecto literário “Textualidades”, em que os autores falam das suas obras com os seus leitores e expõem os seus livros, a realização de oficinas artísticas, no âmbito do Programa de Férias para Crianças, oferecendo-lhes uma singular oportunidade de conhecer a cultura dos povos de Angola, a cerimónia de outorga da I Edição do Prémio de Poesia “Um Bouquet de Rosas para Ti”, concertos, a Semana do Circo, a I Edição da Feira da Poesia Angolana, documentários e festivais de música internacional.”

A intenção, segundo o responsável, é abordar a cultura, no seu sentido lato, na perspectiva de valorização das várias manifestações e expressões culturais e artísticas, nacionais e internacionais. Já no que diz respeito à cidadania, informou que a iniciativa visa corresponder aos anseios, aspirações e perpectivas do cidadão operante as ofertas culturais da sua cidade, e em reação ao lazer, reorientar para a fruição educativa e pedagógica do entretenimento.

Diversificação e dinamismo Jomo Fortunato recordou que, no ano transacto, o mote da diversificação e dinamismo na proliferação da acção cultural do Memorial Dr. António Agostinho Neto ultrapassou as expectativas, facto que tem contribuído para a modernização do conceito das formações de lazer do cidadão, transformando os seus espaços de fruição cultural num instrumento pedagógico de crescimento pessoal e conhecimento da realidade cultural angolana, numa perspectiva diacrónica, o que deu azo a aparição de um público fiel às propostas culturais da instituição.

Sublinhou que a evolução no tratamento interactivo das realizações do MAAN tem permitido tornar os participantes mais confiantes, críticos, criativos e seguros na absorção activa dos inúmeros conteúdos culturais. “A abrangência da nossa proposta de agenda cultural procurou atingir os vários extratos da sociedade angolana, de modo a potenciar o interesse do público, apelando ao contributo voluntário de todos, visando a melhoria paulatina da nossa programação cultural”, sublinhou.

Primeiro espectáculo do mês Sandra Cordeiro é a cantora convidada para abertura do primeiro espectáculo, a 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, no âmbito da nova programação cultural do Memorial Dr. António Agostinho Neto. Sandra Cordeiro começou a cantar aos 12 anos na Igreja do Carmo como solista.

Foi nessa altura que descobriu a sua vocação. A sua carreira teve início aos 16 anos com a participação no programa Estrelas ao Palco, em 2001, tendo ficado em 5º lugar, pela interpretação da canção “I’m Outta Love”, da cantora Anastasia.

A partir daquela altura começou a cantar em bares e restaurantes na companhia de várias bandas nacionais e internacionais, como a do músico Carlos Lopes, a Banda Clave, com o músico Mário Rui, a banda de Jazz norueguesa Gumbo e muitos outros nomes.

A cantora participou em vários álbuns nacionais dos mais variados estilos, bem como no Festival da Canção de Lac, em 2005, onde conheceu o produtor NinoJazz.

Últimas Notícias