Sapalo António desmente ser líder do Partido Humanista Democrático

O político reafirmou a sua militância no Partido de Renovação Social (PRS), desmentindo informações que dão conta de ter fundado um novo partido denominado Partido Humanista Democrático(PHD).

POR: Neusa Filipe

Em declarações exclusivas a OPAÍS, o político disse manter-se firme como quadro do PRS, revelando que aguarda pela resposta ao pedido de impugnação apresentado ao Tribunal Constitucional(TC) sobre o congresso ordinário que elegeu Benedito Daniel como novo presidente do PRS. Sapalo António foi derrotado por Benedito Daniel num conclave realizado em Maio do ano passado, em que concorreu também o antigo secretário-geral João Baptista Ngandagina.

O entrevistado deste jornal disse estar esperançoso em relação à decisão que o Tribunal Constitucional irá tomar a respeito do processo em causa, alegando que o documento contém provas que evidenciam ter havido fortes irregularidades durante a realização do congresso. “O processo está distribuído já aos juízes conselheiros, e vamos aguardar pela sua conclusão, porque a qualquer momento o Tribunal poderá se pronunciar”, esclareceu. Sapalo António fundamenta a sua decisão de impugnar o Congresso alegando que a sua organização e realização não respeitaram os estatutos e a própria directiva que regulam a organização e a realização das conferências provinciais e do próprio Congresso.

Disse estar confiante em que o Tribunal Constitucional poderá decidir pela nulidade do conclave, caso comprove a existência de provas de que não foram cumpridas as disposições legais e estatutárias. “Obviamente que o Tribunal vai decidir anular o Congresso. Anulado o Congresso, o Benedito Daniel deixará de ser o presidente do partido e vai-se organizar novamente o Congresso, ou o próprio Tribunal vai sugerir outros procedimentos”, avançou. O IV Congresso Ordinário do PRS realizou-se nos dias 29 e 30 de Maio do ano passado, tendo eleito Benedito Daniel como presidente do partido.

O novo PHD

Relativamente às informações postas a circular na imprensa e que apontam o político como tendo fundado um novo partido como se referiu acima, Sapalo António disse não ser verdade. Revelou que, apesar de lhe ter sido feito o convite para liderar o PHD, existem projectos pendentes no PRS que o levam a não abandonar o partido que ajudou a idealizar e a fundar. Afirmou que recebeu muitos convites de outros partidos políticos tradicionais, como o MPLA e a UNITA, mas prefere continuar a sua militância no PRS. Fez saber que o PHD – Partido Humanista para o Desenvolvimento é uma formação embrionária que está a ser fundada por militantes dissidentes do PRS. “Segundo informações que recebi dos mentores que reuniram comigo, o PHD está constituído maioritariamente por militantes que saíram do PRS”, explicou.