loader

Sobe para seis o número de mortes causadas pelas chuvas

Os dados definitivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros sobre as enxurradas que se abateram Quarta-feira sobre Luanda, apontam para o ferimento de outras 8 pessoas e 545 famílias desalojadas.

Das vítimas, o destaque recai para as três crianças menores de 5 anos, nos municípios do Cazenga, Cacuaco e Viana, a primeira por desabamento de uma residência e as duas últimas por afogamento, segundo o porta-voz da corporação em Luanda, Faustino Minguês.

Para além das seis mortes, as chuvas de Quarta-feira, 28 de Fevereiro, afectaram directamente três mil e 270 pessoas, sendo que 545 famílias ficaram desalojadas. As enxurradas deixaram ainda 12 mil e 253 casas inundadas, consequências que se fizeram sentir maioritariamente em diferentes bairros dos municípios de Viana, Cacuaco, e Cazenga, segundo os dados definitivos dos Bombeiros.

Escolas e igrejas não foram poupadas

As águas aceleraram o alargamento de seis ravinas e o número de escolas inundadas subiu de nove para 37. Na sequência, 13 templos religiosos ficaram inundados, assim como cinco bancos comerciais. O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê um abrandamento das chuvas na capital do país nos próximos dias. Importa realçar que o governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, suspendeu as autorizações de gozo de férias e viagens a todos os funcionários que exerçam cargos de administradores, directores e chefes de gabinetes, até 20 de Maio. Adriano Mendes de Carvalho esclarece que a medida está relacionada com as fortes chuvas que assolam a província e os danos humanos e materiais causados.

Últimas Notícias