Editorial: montras

Este ano regressam as feiras. Hoje, em Moçâmedes, começam as Festas do Mar, que deveriam ser mais grandiosas, mas, mesmo assim, são uma bela montra para as potencialidades da província, que não são para desprezar. Benguela voltará a ter a sua feira internacional, a Filda também regressa este ano. São sinais importantes de vitalidade, uma economia que quer mexer, pulsar, e não quer morrer. A facilitação migratória, com a supressão da necessidade de vistos para cidadãos de alguns países e a facilitação de entrada para outros, pode ajudar a dar um colorido diferente às nossas feiras. aliás, a sua realização este ano, acabará por ser o primeiro sinal da resposta internacional do apelo feito pelo Governo para a atracção de investimentos. Mas as feiras não devem ser apenas montras para quem vem de fora, os negócios serão mais facilmente acertados se os nacionais mostrarem também o que sabem fazer. Este é um desafio interessante para o empresariado nacional.