UE disposta a financiar 30% do custo de eleições na RD Congo

A União Europeia (UE ) vai financiar 30 porcento do custo global das eleições na RD Congo, ou seja, 129 milhões e 600 mil do total de USD 432 milhões, declarou o embaixador e chefe da delegação da UE na RD Congo, Bart Ouvry.

“Vamos intervir com outros parceiros em apoio às actividades de preparação das eleições pela Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI)”, declarou Ouvry em entrevista divulgada Segunda-feira nas antenas da rádio privada “Top Congo”., em Kinshasa. Segundo o embaixador, as negociações estão em curso e devem concluir-se brevemente, estando a UE disposta a dar também uma ajuda de perícia com grupos independentes de peritos internacionais e ao Projecto de Apoio ao Ciclo Eleitoral no Congo (PACEC).

O embaixador Bart Ouvry acrescentou que a UE está igualmente pronta para prestar uma ajuda financeira para que as eleições possam realizar-se no prazo previsto e que sejam da melhor qualidade possível e credíveis. Segundo ele, está previsto um comité de parceria para discutir sobre a maneira como organizar as eleições na RD Congo. A UE pôs à disposição peritos que trabalham com a CENI e ajudam a organizar da melhor forma as eleições, lembrou o embaixador Bart Ouvry.

Relativamente à problemática da máquina de votar, ele indicou que se coloca o problema da sua qualidade e durabilidade e pediu que a CENI demonstre se a máquina poderá suportar as condições climáticas da RD Congo, bem como questões logísticas e da confidencialidade. Para o embaixador, a perícia da UE, da União Africana (UA) e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) poderá ser muito útil para tomar uma decisão sobre o uso desta máquina.