Florinda Ramos: a mulher dos ovos de Benguela

O mais conceituado aviário da província de Benguela, Santa Filomena, pertence a nossa entrevistada, Florinda Ramos, uma empresária, mãe e mulher bem-sucedida que traçou, com muito orgulho, nesta cidade que a viu nascer.

POR: Zuleide de Carvalho

Com muito amor e carinho, Florinda Ramos, recebeu a nossa equipa no seu aviário, não apenas para nos apresentar, mas também para mostrar às outras mulheres que é possível, com dedicação e muita força de vontade, criar e gerir este tipo de negócio. O sucesso vai depender da nossa atenção às oportunidades e da dedicação em aprender diariamente, com todos, no trabalho e não só, segundo a empresária. “Acreditar e investir em si mesma”, é o conselho que deixa a todas as mulheres que queiram entrar no mundo empresarial.

Não fosse assim, nunca conseguiria abrir o seu próprio negócio. Florinda começou a trabalhar no aviário de uma outra pessoa, ganhou experiência, aprendeu bastante e criou a sua própria empresa. Dois anos foi suficiente para iniciar o desafio de comprar e gerir uma quinta, criando aves e produzindo ovos, isto em 1992. Com formação técnica em avicultura, viu uma oportunidade de negócio, na altura, num espaço sub.aproveitado que comprou ao Estado, e hoje é o conhecido Aviário Santa Filomena. No ramo de avicultura acumula experiência de trinta anos, todavia, nem sempre foi a líder do negócio, uma vez que, no início da década de 90, a empresária encontrou dois grandes concorrentes na província de Benguela.

Para fazer face aos mesmos, focou-se no crescimento e desenvolvimento da sua organização, tendo a qualidade e a eficiência como trunfos na manga. Arrancar com a empresa “foi um grande desafio”, recorda. Hoje, tem capacidade para albergar até 60 mil galinhas e a produção diária ronda os 19 mil ovos. O Aviário Santa Filomena é dos mais famosos de Benguela. Cabe à Florinda a responsabilidade da reputação que têm, pela qualidade dos ovos, das galinhas e das rações que produzem. Diariamente, 53 funcionários trabalham consigo. A cada um, ao longo dos anos de companheirismo profissional, deu formação e liberdade, tornando-os líderes nos seus departamentos e, hoje, vê os resultados na motivação e trabalho que apresentam.

O renascer das cinzas depois da inundação As chuvas que se abateram por Benguela em Março de 2015 deixaram um nível de destruição tal, que o Aviário Santa Filomena, localizado junto ao Rio Cavaco, ficou totalmente inundado quando o rio transbordou. Este foi o episódio mais triste da história da empresa. Quer por questões financeiras, dado os prejuízos elevados, quer por desgaste emocional. Para a proprietária e colaboradores, ver o espaço, com cerca de 7 hectares, invadido por água, com mais de 1,5m de altura, alagando tudo o que lá existia, foi dramático e difícil de esquecer.

Morreram mais de 12 mil galinhas, o rés-do-chão do escritório ficou imerso, os arquivos em papel molharam, os móveis degradaram- se, as plantas da estufa estragaram-se e quase “tudo a água levou”. Porque “das cinzas nascem as rosas do sucesso”, uma citação que admira, Florinda Ramos e os seus colaboradores choraram juntos, pela perda. Depois, todos eles, arregaçaram as mangas e reergueram o aviário, que voltou a florescer. Florinda Craveiro Ramos é mãe, casada e vive na Restinga do Lobito, sua terra natal. Depois do lar, cuidar do aviário tornou-se a prioridade da lobitanga. Fez grandes investimentos, pessoais e monetários, que hoje garantem-lhe a posição de líder de mercado, na província de  Benguela, no campo da avicultura.