loader

Minério da RDC já a caminho da China, Índia e Europa, via Lobito

Sem precisar o volume de receitas a arrecadar com a sua retoma comercial 34 anos depois, o Presidente do Conselho de Administração do CFB está convicto de que a sua empresa vai conhecer um crescimento significativo em virtude do tráfego internacional ser bastante lucrativo.

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Mil toneladas de manganês, a primeira parte de um total de 10 mil, foram transportadas, em 35 horas, da República Democrática do Congo (RDC) para o Lobito, por via do Caminho de Ferro de Benguela (CFB), 34 anos após a paralisação das trocas comerciais, devido ao ambiente político-militar então instalado em Angola. Os investimentos do Executivo angolano, que resultaram na modernização do corredor ferroviário, Lobito/Luau, permitiram a retoma das trocas comerciais entre Angola e a RDC pelo CFB. Um facto que o Presidente do Conselho de Administração do CFB, Luís Teixeira, considera como a concretização de um sonho há muito adiado por questões de contexto, mas garante que a chegada do minério, concretamente o manganês, marca o início de uma nova era nas relações comerciais com a sua congénere congolesa SNCC.

Numa primeira fase, foram transportadas mil toneladas de manganês extraído na mina de Catanga, num total de 10 mil, 34 anos depois da paralisação das trocas comerciais entre Angola e a RDC, via CFB. Do terminal de contentor do Porto Comercial do Lobito, o produto segue, agora, para países como a China e a Índia.

“Agora, enquanto o comboio faz a descarga dos contentores, no lado do Congo há um outro à espera, com contentores que estão a ser carregados com o mesmo produto”, salientou à imprensa Luís Teixeira, momentos antes de, juntamente com o ministro dos transportes, Augusto Tomás, e o governador de Benguela, Rui Falcão, presenciarem a chegada do locomotiva ao Porto do Lobito. Quanto à morosidade evocada pelos despachantes na hora de passar as tarifas, um facto que pode afugentar os investidores, Luís Teixeira garante que a máquina administrativa do CFB vai funcionar sem interrupções. “A tabela tarifária já foi entregue à Câmara dos Despachantes”, sendo que da parte da sua empresa está tudo garantido e os processos administrativos serão implementados com a devida celeridade.

Últimas Notícias