loader

MACON reforça frota com 27 novos autocarros

A MACON , maior empresa privada de transportes colectivos do país, transporta em média 58 milhões de passageiros por ano. Com a nova frota a empresa totaliza 727 autocarros

POR: Hélder Caculo

Em entrevista a OPAÍS, o director-geral da operadora, Luís Máquina, explicou que a nova frota visa reforçar o serviço interprovincial e já permitiu a admissão de novos colaboradores, entre motoristas, cobradores e auxiliares administrativos. “A nova frota, um total de 27 novos autocarros vai reforçar as novas operações interprovinciais. Para a concretização desse objectivo tivemos de admitir mais de 100 novos colaboradores, sobretudo em algumas províncias do país, cumprindo assim, com um desafio social que é a criação de novos postos de trabalho”, disse.

O gestor disse igualmente que em Maio, a empresa dará início a obras de construção de um novo terminal de desembarque na província da Huila, município do Lubango. Nas cidades de Benguela e Huambo a operadora vai construir novas bases para manutenção e lavagem de autocarros. A operadora vai, a partir deste ano, dar inicio a operações na República da Namíbia, com um total de 6 autocarros, um investimento de USD 2 milhões.

Em 2017, a empresa adquiriu 101 novos autocarros, sendo 90 na República Popular da China, avaliados em USD 17 milhões, e 11 na República Federativa do Brasil, a USD 2 milhões e 500 mil. Desta frota, cerca de 60% dos novos autocarros vão servir para renovação da frota e 40% para aumento da frota. Em 2017, a empresa fechou o ano com 700 autocarros. Segundo Luís Máquina, a idade média dos autocarros (entenda-se o somatório da frota comparando-se com o ano de produção) é de três anos.

Empresa queixa-se das condições das estradas
A empresa pondera fechar algumas rotas devido ao estado avançado de degradação de muitas estradas do país . Por exemplo, a rota Malanje-Saurimo está em via de ser fechada devido ao estado degradado das vias, o que poderá afectar consequentemente as províncias de Luanda, Lunda-Norte e Moxico. O acesso às divisas para importações de peças e autocarros tem sido uma das lutas travadas pela operadora. Luís Máquina reclama ainda o facto de não haver crédito bancários voltados às empresas de transportes. Actualmente a Macon conta com 727 autocarros a operar nas 18 províncias do país. Desde 2001 até ao presente ano económico a empresa criou 3 mil postos de trabalho directos e 800 indirectos. A operadora presta serviços urbanos, fretamento, intermunicipal, interprovincial, cargas e encomendas e executivo.

Últimas Notícias